logotipo

segunda

22/05/2017

Publicidade

Exibir Comunicação
Entrevistas
Publicada em Seg, 30/01/2017

Levei uma vida bem mundana, disse Dayse Paparoto do Master Chef em entrevista

3384

Levei uma vida bem mundana, disse Dayse Paparoto do Master Chef em entrevista

A vencedora do Master Chef Profissionais, Dayse Paparoto, falou numa entrevista como foi sua trajetória, conversão ao evangelho e como foi transformada por Deus, além dos conflitos vivenciados na competição culinária

A vencedora de um dos programas mais bem-sucedidos na TV nos últimos anos, o Master Chef, Dayse Paparoto teve uma vitória muito comemorada por mais de 90% do público que torceu por ela. A chefe de cozinha ficou conhecida não apenas por sua habilidade culinária, mas também por ter dado gritos de “glória à Deus” e “obrigado Senhor” ao final do programa que lhe rendeu R$ 170 mil reais e um carro zero.

Durante uma entrevista concedida a repórter Jussara Teixeira, Dayse Paparoto falou sobre sua trajetória, da época que não era evangélica e como foi a sua conversão.

Criticada por alguns participantes do Master Chef Profissionais, Paparoto não se deixou intimidar, nem perdeu a postura tranquila, sempre com um sorriso no rosto e muita simpatia, conquistou não apenas o posto de primeira Master Chef Profissional do Brasil, como também o público de casa;

“Foi Deus quem ganhou o programa, eu só fui usada. Em muitas ocasiões, vi Deus agindo de diversas formas, na injustiça, em ser desacreditada, ser mal falada, a cada prova eu ia sendo honrada em meio a tudo que se colocava contra. Senti que havia uma oposição muito grande, mas era espiritual. Eu não fazia parte das rodinhas de fofocas, das panelinhas e conchavos”, contou na entrevista.

Na final do Master Chef Profissionais, Dayse Paparoto comemorou com gritos de “glória à Deus” e “Obrigado Jesus”

Dayse Paparoto, que começou a trabalhar com o pai aos 9 anos, queria conhecer o mundo, foi quando viu em um curso de gastronomia que ficava a 04 horas de distância da sua casa a oportunidade de alcançar seu objetivo, precisando sair de Mogi das Cruzes para morar em Águas de São Pedro e estudar no Senac/Grande Hotel São Pedro.

Dayse conta que precisou trabalhar de 8 às 22h, emendando os estudos com um trabalho voluntário que fez no hotel; “Passei por todas as áreas do hotel, e fui escolhida a melhor entre 200 alunos”, disse a chef, que com o sucesso foi convidada para trabalhar em diversas cozinhas ao lado de chefes conceituados.

A conversão ao evangelho

Dayse já tinha alcançado a independência que buscava, mais algo faltava em sua vida:

“Como estava me sentindo livre, eu ia para muitas festas e foi lá que passei a fazer muitas coisas erradas e levei uma vida bem mundana (..) eu tentava preencher aquele vazio interior quando eu saía, ia para as baladas, relacionamentos etc. Tem uma hora que eu pensava: nossa, fiz tudo isso, amanhã vou ter que fazer tudo de novo para sentir uma alegria efêmera. Eu chegava a indagar isso.  Mesmo assim, vi a mão de Deus que me protegeu em vários momentos”, contou.

“Cheguei a ir para cultos com roupas bem mundanas.”

Depois que terminou o curso de gastronomia, Dayse Paparoto foi morar com uma amiga enquanto fazia outro curso, e na casa havia a célula de uma igreja que se reunia semanalmente; “No começo eu não participava, mas com o tempo comecei a ficar nas reuniões. Até parei de sair no dia da semana da célula. Enquanto isso as pessoas oravam e jejuavam por mim e eu nem sabia!”.

Dayse disse que não escondia sua vida “mundana” e chegou a confrontar o grupo algumas vezes; “…uma vez cheguei a ir para o culto com roupas bem mundanas, assim para escandalizar mesmo. Fui super bem recebida, e Deus foi me quebrantando com tanto amor”, continuou dizendo na entrevista.

Por fim, Dayse Paparoto disse que certa vez foi a um culto e, após ir na frente, voltou para casa, chorando, dizendo a amiga que queria aceitar a Jesus. Desde então Dayse testemunha o amor de Cristo por onde passa; “teve um restaurante que eu passei em que todos se converteram. Eu falava, testemunhava, colocava louvor para todos ouvirem na cozinha, áudios da Bíblia”, contou ela, que finalizou a entrevista com a seguinte reflexão:

“Se Deus se preocupou em me ajudar em uma torta de limão, Ele não vai ajudar cada um com qualquer outra questão? Ele pode todas as coisas!”

*Fonte: Gospel Prime.

Comentários

social

foto_entrevistas

O 5º salão internacional gospel convida a todos para acenderem a luz junto com Aline Barros

0

Ter, 09/05/2017

lançamentos

foto_entrevistas

Shirley Carvalhaes lança coletânea de canções ao vivo

0

Qui, 18/05/2017

© 2009/2016 - Revista Exibir Gospel | Desenvolvido por Exibir Comunicação