Siga nossas redes sociais

Principal

O mundo não quer mais saber de Deus

Published

on

Imagem: Reprodução

No Canadá, crucifixo será retirado de repartição pública para declarar “secularismo”

Por Cris Beloni

Na semana passada, foi anunciada a retirada de um crucifixo da câmara municipal de Montreal, em Quebec, no Canadá. A iniciativa de políticos canadenses visa “reafirmar o caráter secular do prédio do governo”.

Segundo a vereadora Laurence Lavigne-Lalonde “o crucifixo foi instalado numa era completamente diferente da que vivemos hoje”, disse durante uma reunião do conselho executivo.

“Agora vivemos numa sociedade que ‘evoluiu’ e é representada por instituições democráticas, que devem ser seculares, neutras e abertas a todos os cidadãos”, afirmou. “O contexto em que ele foi colocado não existe mais. Precisamos reafirmar o caráter secular da câmara”, continuou.

De acordo com o Christian Post, durante o período aproximado de 80 anos, esse crucifixo serviu como um lembrete para os políticos garantirem que suas decisões estavam sendo guiadas por Deus.

 

Crucifixo vai para museu

Segundo a pessoa responsável pela reforma que vai durar três anos, o crucifixo ficará exposto num museu que está sendo planejado para fazer parte do prédio. A previsão é que tudo fique pronto em 2022.

A prefeita Valeria Plante também argumentou que a cruz não precisa estar localizada numa instituição secular como o Conselho Municipal. “Esse é um lugar onde tomamos decisões e essa cruz foi colocada para o apoio nessas decisões. Mas acho que vivemos um momento diferente agora”, disse.

“Para mim, há uma forte distinção entre o secularismo individual e institucional”, justificou. E finalizou confirmando que a prefeitura apenas está reconhecendo o papel do secularismo na instituição.

Quebec era uma das regiões do Canadá reconhecida por sua herança religiosa. A igreja católica em Montreal rebateu dizendo que o crucifixo é símbolo das raízes da cidade e “representa o amor de Deus por toda a humanidade”.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *