Siga nossas redes sociais

Estudo

JORNALISMO INVESTIGATIVO VIRA FERRAMENTA PARA ENTENDER AS ESCRITURAS

Published

on

Compartilhe

DA REDAÇÃO POR CRIS BELONI

Informações de várias áreas são reunidas, como num
quebra-cabeça e mostram que os relatos bíblicos são reais


Além disso, registrou comentários de grandes teólogos, cientistas e arqueólogos sobre as evidências e as
descobertas mais recentes que provam que o Criacionismo deve ser levado a sério.


Na edição anterior, falamos sobre a importância da Bíblia para a geração atual e o quanto os universitários têm
sido obrigados a estudar o evolucionismo como única teoria considerada científica. Nesta edição, vamos saber um
pouco mais sobre uma área de estudo que tem ajudado as pessoas a compreender a Bíblia.

Foto: Reprodução

Jornalismo Investigativo pode ajudar, e muito, aqueles que querem entender a Bíblia. Ele tem sido usado como uma ferramenta que leva o leitor a um aprendizado mais profundo, além de esclarecer algumas polêmicas. Lembrando que a investigação não é exclusividade de casos de violência, crimes e corrupção, como muita gente pensa.

O Jornalismo Investigativo é, na verdade, um processo sistemático para ampliar o conhecimento humano. A Ciência também é investigativa, assim como a Medicina e tantas outras áreas de atuação. Mas quando a Comunicação se propõe a investigar algum tema, ela funciona como um quebra-cabeça.

O comunicador ou pesquisador, podemos chamá-lo assim, sai em busca de todas as peças que se encaixam para “montar” uma resposta. Vamos colocar como exemplo o tema Dilúvio e a Arca de Noé e vamos montar aqui um mini-quebra-cabeça, só pra exemplificar.

A proposta é buscar as evidências em todas as áreas que podem colaborar, cada qual com a sua “peça” desse quebra-cabeça que queremos ver pronto. A paleontologia, por exemplo, tem uma dessas peças em mãos, quando apresenta seus fósseis marinhos nas mais altas montanhas, o que evidencia que somente uma catástrofe hídrica global poderia apresentar esse tipo de cenário.

A engenharia naval, por sua vez, tem outra peça quando afirma que as medidas da arca, que são inclusive especificadas na Bíblia, são compatíveis com um navio de carga atual. Você sabia que muitos engenheiros se surpreendem com as dimensões da Arca de Noé e admitem que ela teria flutuabilidade?
Há profissionais dessa área já admitindo que as descrições bíblicas da Arca se encaixam com a realidade de um navio bem arrojado para aquela época. Por outro lado, geólogos apresentam outra peça do nosso quebra-cabeça, provando a existência de águas subterrâneas.

Para o que a Bíblia chama de “águas do abismo” ficaram as evidências que, em nossos dias, foram apresentadas através de estudiosos. Eles descobriram que a partir de 400 quilômetros de profundidade existiu um oceano dentro do nosso planeta, que ficava entre a crosta terrestre e o manto, onde armazenou ou ainda armazena mais água do que na própria superfície da Terra.
Essa é uma afirmação que se encaixa perfeitamente com a origem das águas do dilúvio. Veja que com apenas três peças de três diferentes áreas de atuação montamos aqui um quebra-cabeça que começa a responder positivamente que o Dilúvio foi um fato e não um mito e que a arca de Noé realmente existiu.

Então, a Bíblia é um livro histórico, que fornece muitas verdades e que responde a muitas perguntas. Concluindo, perceba a importância do Jornalismo para o entendimento bíblico. E aí? Quer investigar um pouco mais a Bíblia? Então não deixe de ler a próxima edição.