Siga nossas redes sociais

Música

Mais de 130 músicos assinam campanha a favor do aborto

Published

on

David Eric Grohl (Foo Fighters), Katty Perry, Paulina Rubio, Lady Gaga / Crédito: Wikimedia Commons – Domínio público

ESTADOS UNIDOS – Mais de 130 músicos internacionais assinaram uma campanha patrocinada pela Planned Parenthood para rejeitar as recentes restrições ao aborto aprovadas em vários estados dos Estados Unidos. Catherine Hadro, apresentadora do EWTN Pro Life Weekly, publicou no Twitter a lista completa dos artistas, que pode ser vista na íntegra no final desta matéria e dividida por gêneros musicais.

As assinaturas pertencem a celebridades como Ariana Grande, Paulina Rubio, Demi Lovato, Foo Fighters, John Legend, Katy Perry, Lady Gaga, Miley Cyrus, Nicki Minaj, Alanis Morissette e muitos mais. “Os músicos de todo o país se solidarizam com a Planned Parenthood. Estão dizendo que o acesso a cuidados de saúde sexual e reprodutiva é quase o mesmo tipo de liberdade que lhes permite criar músicas e falar a sua verdade, porque ninguém é livre a menos que controle o próprio corpo”, anunciou o site da maior provedora de abortos do país, em 26 de agosto.

Os grupos pró-vida, por sua vez, negaram que o livre acesso ao aborto durante a gravidez seja uma forma de “liberdade”. “O aborto vitimiza e tira o poder das mulheres: nossos corpos devem estar livres de violência, incluindo a violência do aborto. Esses artistas não estão em contato com a maioria das mulheres nos Estados Unidos”, disse Molly Sheahan, da organização We Are Pro-Life Women, à CNA – agência em inglês do Grupo ACI.

“Três quartos dos norte-americanos, incluindo 79% das mulheres negras e hispânicas, são a favor de acabar ou restringir o aborto. Inclusive uma maioria significativa de democratas e pessoas que se identificam como pró-aborto são a favor das restrições ao aborto”, ressaltou.

Uma pesquisa de fevereiro indicou que a grande maioria dos norte-americanos apoiava pelo menos algumas restrições ao aborto.

Jeanne Mancini, presidente da Marcha pela Vida, disse à CNA que foi “doloroso” que as pessoas na indústria do entretenimento estejam publicamente apoiando “algo tão triste e escuro como o aborto”. Do mesmo modo, afirmou que as celebridades não pensam como a maioria dos norte-americanos, tanto no reconhecimento da realidade do aborto quanto na questão do financiamento através de impostos para a Planned Parenthood. “Por mais poderosas que sejam as elites de Hollywood, não podem mudar a verdade subjacente de que o aborto tira a vida de um e fere outra, e que a Planned Parenthood é o maior provedor de aborto de nossa nação. No entanto, inclusive com o dinheiro e a influência aliados contra nós, o movimento pró-vida continua crescendo”, disse Mancini.

Nos primeiros meses de 2019, vários estados aprovaram leis que limitaram enormemente o acesso ao aborto. Essas leis vão desde a proibição quase total do procedimento no estado do Alabama, até as leis do Arkansas e Utah que proíbem o aborto após a 18ª semana de gravidez.

Outros estados, incluindo a Geórgia, decidiram proibir o aborto após a detecção de um batimento cardíaco fetal, geralmente entre seis e oito semanas de gravidez.

Nenhuma dessas leis entrou em vigor ainda, pois todas estão sendo impugnadas nos tribunais por organizações pró-aborto.

Seis estados vêm se mobilizando para expandir o acesso ao aborto. Quatro deles – Illinois, Nova York, Rhode Island e Vermont – codificaram o aborto como lei, o que significa que ainda seria legal caso a sentença Roe vs. Wade seja anulada pela Suprema Corte.

A governadora do Maine, Janet Mills, aprovou uma lei que permite que o programa estadual Medicaid cubra o aborto e exigiu que as seguradoras ofereçam planos dentro do estado para cobrir os serviços de aborto. Mills também assinou uma lei permitindo que esta prática seja realizada por outra pessoa que não um médico.

Em maio, Nevada descriminalizou o aborto e revogou várias restrições ao procedimento, incluindo uma exigência de verificação de idade.

Planned Parenthood recentemente se retirou voluntariamente do programa de planejamento familiar do Title X depois que novas regras foram anunciadas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos. Estas proíbem os beneficiários deste programa de propor a pacientes que façam um aborto ou os encaminhem a outras clínicas de aborto.

A organização ainda recebe cerca de 500 milhões de dólares em financiamento federal de outros programas.

Músicos que apoiam a Planned Parenthood (por gênero musical):

1. Pop/Rock: Ariana Grande, Alanis Morissette, Demi Lovato, Foo Fighters, John Legend, Katy Perry, Lady Gaga, Nicki Minaj, Paulina Rubio, Norah Jones, Miley Cyrus, Selena Gomez, The 1975, Adia Victoria, Alina Baraz, Amanda Palmer, Amara La Negra, Amy Millan (of Stars), Andra Day, Bad Bad Hats, Band of Horses, Beck, Best Coast, BETTY, Betty Who, Billie Eilish, The Bird And The Bee, Bleached, Bob Mould, Bon Iver, Carly Rae Jepsen, Carole King, Charlie Burg, Charlotte Lawrence, China Forbes (of Pink Martini), CHVRCHES, Cindy Wilson (of The B-52s), Daya, Death Cab for Cutie, Dua Lipa, Emily Wolfe, Erin Era, Evie Irie, Fiona Apple, Fred Schneider (of The B-52s), Grace VanderWaal, Grouplove, HAIM, Halsey, Hayley Kiyoko, Heart, Hinds, Hippo Campus, Idina Menzel, iyla, Jenny Lewis, Josh Ritter, Kate Nash, Kate Pierson (of The B-52s), Kim Gordon, Lily Meola, Meghan Trainor, Mitski, Morgxn, MUNA, mxmtoon, The National, Nine Inch Nails, Phantogram, Pink Fly, Portugal. The Man, Queens of the Stone Age, Sara Bareilles, Sarah McLachlan, Sai, Sky Ferreira, Sleater-Kinney, Sleigh Bells, Soccer Mommy, Spoon, Tayla Parx, Third Eye Blind, Tove Lo, Transviolet, Troye Sivan, Vagabon, Walk Off the Earth, White Reaper, X Ambassadors.

2. Urbano/Hip Hop: A$AP Ferg, Ashanti, Fetty Wap, G-Eazy, Grace Sewell, Grace Weber, Justine Skye, K. Flay, LIZZO, Macklemore, Madison Beer, Maggie Rogers, Megan Thee Stallion, Miguel, Princess Nokia, T-Pain, Vic Mensa.

3. Música clássica/Instrumental: Chloe Flower.

4. Rhythm and blues/Soul: Cynthia Erivo, Kiana Ledé, Tinashe.

5. Eletrônica/Experimental: Dan Deacon, The Midnight, Gilligan Moss, Jarina De Marco, Lauv, Madame Gandhi, May Kwok, Rayna Russom.

6. Folk/Country: Dana Williams, First Aid Kit, Kacey Musgraves, Margo Price, Vera Sola.

7. Punk: The Distillers, PUP, Pussy Riot.

8. Alternativa/Independente: Donna Missal, Heidi Rodewald (of Passing Strange), Kishi Bashi, Lola Kirke, Nancy Whang, Squirrel Flower, Stew (of Passing Strange), Toro y Moi, Your Smith.

*Fonte: ACI Digital

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *