Siga nossas redes sociais

Edição

Até que ponto é normal ouvir vozes?

Published

on

DA REDAÇÃO CRIS BELONI

No meio cristão é muito comum ouvir a frase: “Deus falou comigo”. Mas isso não quer dizer que a pessoa esteja “ouvindo vozes”. Quem lê a Bíblia sabe que o Criador sempre manteve comunicação com o ser humano desde os tempos do Antigo Testamento. Mas, atualmente, há ateus classificando cristãos como esquizofrênicos, pelo simples fato de “ouvirem a voz do Espírito Santo”.
Afinal de contas, o que de fato é esquizofrenia? E como podemos classificar uma pessoa que ouve a voz de Deus? De acordo com a apresentadora do programa de rádio Palavra de Esperança, Suelen Mangolin “a esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico manifestado em pessoas com pré-disposição genética para isso”. A estudiosa explica que depois de passar por grandes perdas ou situações com as quais a pessoa não consegue lidar, ela “rompe com a realidade, passando a transitar no mundo da fantasia”.

SINAIS E SINTOMAS

São variáveis de acordo com cada um e, geralmente, de longa duração. “Há alterações na percepção, emoção, cognição, pensamentos e comportamentos”, observa. Normalmente, acontece entre a adolescência e a vida adulta. “Os sintomas são delírios, alucinações, discurso desorganizado e comportamento grosseiro.
As expressões emocionais diminuem gerando pouca afetividade. Muitos se isolam durante esse processo, apresentando ainda um quadro de depressão, falta de esperança e ideias autodestrutivas”,
especificou.

POR QUE AS PESSOAS OUVEM VOZES RUINS?

Ouvir vozes durante a crise de esquizofrenia é algo conhecido como alucinação. “Qualquer um dos cinco órgãos do sentido podem ser afetados pelo transtorno, porém é mais comum na audição – a percepção de sons sem o estímulo externo”, revela. Suelen explica que as vozes podem ser persecutórias ou de comando. “As vozes costumam ser ameaçadoras, obscenas, acusadoras ou ofensivas e podem, inclusive, comentar sobre o comportamento da pessoa. Há ainda a possibilidade de duas ou mais vozes conversarem entre si”, disse.
Entre os cristãos, esse tema já foi muito discutido e classificado até como um problema espiritual, levando em conta que o ser humano é tricotômico, ou seja, possui corpo, alma e espírito. Alguns pastores podem tratar o problema apenas como perturbação espiritual, mas os médicos garantem que, muitas vezes, pode ser uma questão puramente orgânica. “Para
a psiquiatria, existem alguns fatores psicológicos que podem causar essas alterações numa pessoa. Uma das hipóteses se baseia no excesso do neurotransmissor conhecido como dopamina ou o aumento de seus receptores no cérebro”, lembra Suelen.

PESSOAS QUE DIZEM “OUVIR A VOZ DE DEUS”

Quem tem essa experiência, normalmente a descreve como “uma voz que fala ao pensamento”. Muito diferente da esquizofrenia, porém, a voz de Deus fala sempre para o bem da pessoa, despertando ideias construtivas e impulsionando a pessoa a crescer em todos os sentidos da vida. Deus tem fala suave e amorosa. “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.” (João 10.27).
O conflito, no entanto, se dá porque muitos confundem a voz da própria mente ou a voz interior com a voz divina. Neste exato momento, por exemplo, você consegue escutar uma voz dentro da sua cabeça enquanto lê esta matéria. “A psicologia identifica essa voz como o nosso ego, o nosso eu”, esclarece Suelen. Normalmente, a voz interna tem a voz parecida com a voz externa, que é emitida pelas cordas vocais.
Mas, segundo especialistas, as pessoas também ouvem vozes diferentes e isso é normal. Um caso muito comum é quando se lê histórias, então as vozes são alteradas conforme os personagens. Mas também é corriqueiro que a voz interior mude de entonação de acordo com o estado emocional de
cada um. Uma boa ilustração dessa análise psicológica pode ser encontrada através do longa-metragem da Pixar “Divertida mente”. O filme consegue demonstrar a complexidade do cérebro e as relações entre a mente e o comportamento humano de forma realmente descontraída.

ESPIRITUALIDADE OU LOUCURA?

A Bíblia diz que “o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entende-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 2.14). Ainda segundo Suelen, não tem como o ser humano discernir que a voz que está ouvindo em sua mente é de Deus, se não for de maneira espiritual. “As coisas espirituais não se explicam de forma natural. A Bíblia diz que Deus escolheu as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias. Quer dizer que a pessoa não precisa ter as qualificações ou sabedoria humana para ouvir a voz de Deus. Não é pela faculdade que estudou ou pela sua própria inteligência, mas pelo espírito. E Deus fez assim para que ninguém se glorie”, reforça.
A radialista define então que “é porque temos a mente de Cristo que compreendemos a voz de Deus e a discernimos pelo Espírito Dele que vive em nós, e isso é loucura mesmo para aquele que ainda não teve essa experiência”, disse.