Siga nossas redes sociais

Destaques

República da Turquia: os desafios para os cristãos

Published

on

Compartilhe

Opressão islâmica e nacionalismo dificultam a existências de igrejas fortes e influentes

Palco de disputas durante os impérios bizantinos e otomano, a Turquia, como é conhecida hoje, surgiu no século 20, quando a Guerra da Independência foi travada para a libertação de territórios dos domínios ingleses e franceses. Sob o comando de Mustafa Kemal Pasha (conhecido também por Atatürk), no dia 1º de novembro de 1922, o país deixou o sultanato para tornar-se uma república. Mas a história da República da Turquia só começa em 29 de outubro de 1923, data da fundação de um dos Estados criados após a dissolução do Império Otomano.

Com o nascimento de uma nova maneira de governar, os turcos instituíram algumas mudanças, como a obrigatoriedade e gratuidade do ensino, substituição do alfabeto arábico pelo latino, igualdade de direitos civis e políticos entre homens e mulheres, a proibição da poligamia e adoção do calendário gregoriano. Em tese, o novo país tornou-se um estado laico. E para coroar esse quadro de mudanças, a capital passou a ser Ancara, ao invés de Istambul, que ainda guardava resquícios do império.

Muitas dessas mudanças foram consideradas como ocidentalização do país majoritariamente muçulmano e isso não é aceito até hoje por boa parte dos líderes e população. O islamismo é a religião de 98,3% dos turcos, o que leva à opressão islâmica, já que a porcentagem de cristãos não chega a 1%. O nacionalismo religioso impulsiona os mais radicais a condenar e coibir o evangelismo no país, e assim impedir a conversão de muçulmanos.

Além da corrupção dos governantes, o povo turco enfrenta as consequências da tentativa fracassada de um golpe em 2016. A restrição da liberdade em todo o território tem causado problemas a todos que não concordem com as decisões do governante atual. Além disso, na carteira de identidade turca, é necessário declarar-se de alguma religião pré-estabelecida pelo Estado, como islamismo sunita, Igreja Ortodoxa Grega, Igreja Apostólica Armênia ou judaísmo. Aqueles que não se encaixam nessas opções deixam a seção em branco. Esse fato faz com que exista uma discriminação contra essas pessoas. Diante dos problemas citados, muitos novos cristãos preferem deixar a nova fé em segredo.

Turquia ocupa a 26ª colocação na Lista Mundial da Perseguição 2019. A opressão islâmica, o antagonismo étnico e a paranoia ditatorial dos governantes são os principais motivos que fazem com que ser cristão no país seja um imenso desafio.

Pedidos de oração

  • Ore para que os cristãos no país sejam fortalecidos para compartilharem a mensagem de Cristo e resistirem à opressão.
  • Peça que Deus levante líderes que respeitem as leis e criem maneiras de acabar com a segregação desses cristãos, principalmente os ex-muçulmanos.
  • Interceda para que o Pai continue sustentando os cristãos na Turquia, para que eles tenham as necessidades supridas e possam crescer em número e influência.

Portas Abertas*