Siga nossas redes sociais

Global

Pastor chinês faz apelo urgente à oração, com casos de coronavírus acima de 20.000

Published

on

Compartilhe

Um pastor chinês que vive Wuhan – o epicentro do surto mortal de coronavírus – escreveu uma carta poderosa pedindo à comunidade internacional de fé que orasse, pois o número de casos confirmados ultrapassa os 20.000 no país.

O líder cristão, identificado como “Um pastor Wuhan” pela China Source , escreveu uma longa carta na qual revelou que colegas pastores de todo o mundo estavam chegando, perguntando como eles poderiam apoiá-lo.

“É evidente que estamos enfrentando uma prova de nossa fé”, escreveu o pastor. “A situação é tão crítica, mas [confiamos] nas promessas do Senhor, que seus pensamentos para conosco são de paz e não de maldade (Jeremias 29:11), e que ele permita um tempo de provação, para não nos destruir, mas para nos estabelecer. ”

“Portanto, os cristãos não devem apenas sofrer com as pessoas desta cidade, mas temos a responsabilidade de orar por aqueles que têm medo nesta cidade e de lhes trazer a paz de Cristo.”

O pastor enfatizou que, enquanto Cristo “nos deu Sua paz”, essa “paz não é para nos remover do desastre e da morte, mas para ter paz no meio do desastre e da morte, porque Cristo já superou essas coisas”.

“[Quando] o desastre nos atinge, é apenas uma forma do amor de Deus”, afirmou. “Falada por hoje, a pestilência de Wuhan não pode nos separar do amor de Cristo; esse amor está em nosso Senhor Jesus Cristo. ”

O pastor instou a comunidade internacional a “orar pela misericórdia de Deus nesta cidade e trazer paz a essa cidade por meio de nossas orações e testemunhos”.

“Acredito que este é o mandamento de Deus que chama aqueles de nós que vivem em Wuhan”, disse ele. “Devemos buscar paz para esta cidade, buscar paz para aqueles que sofrem com esta doença, buscar paz para o pessoal médico que luta na linha de frente, buscar paz para todos os funcionários do governo em todos os níveis, buscar paz para todo o povo de Wuhan!

O pastor concluiu sua carta pedindo aos leitores que “voltassem os olhos para Jesus”, acrescentando que “somente pela esperança da misericórdia do Senhor esta cidade será salva”.

A carta do pastor aparece quando o número de casos confirmados do coronavírus subiu acima de 20.000 na China, levando as autoridades chinesas a colocar em quarentena várias grandes cidades. 

O vírus se originou em Wuhan, uma cidade de 11 milhões na província de Hubei, e pode levar a doenças respiratórias, mortais em alguns casos. Na segunda-feira, Hong Kong registrou sua primeira morte pelo vírus, que matou pelo menos 425, todos, exceto dois na China continental.

Os Estados Unidos registraram recentemente seu 11º caso do vírus. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde  declarou o surto uma emergência de saúde pública.

O Observador Internacional da Perseguição, Christian Concern, observa que, neste momento de desespero e medo, a comunidade cristã da China se intensificou para oferecer esperança e refúgio aos que sofrem. 

Um vídeo compartilhado pelo padre Francis Liu da Irmandade Cristã Chinesa de Justiça mostra que sermões encorajadores estão sendo transmitidos para suas comunidades por meio de alto-falantes colocados nas varandas. Segundo o ICC, um cristão andava de bicicleta até uma farmácia onde as pessoas se reuniam e tocavam um sermão através de um alto-falante portátil.

Outro vídeo divulgado nas redes sociais mostra cristãos distribuindo máscaras e panfletos do evangelho para os transeuntes nas ruas enquanto um sermão é tocado ao fundo. 

Além disso, cristãos de outras províncias ofereceram suas casas para acolher pessoas que fogem da província de Hubei que enfrentam discriminação por moradia. 

A Human Rights Watch observa que houve numerosos relatos de hotéis fora da província de Hubei, recusando-se a admitir viajantes com cartões de identificação Wuhan ou Hubei, de vilarejos montando barreiras bloqueando a entrada de carros com placas de Hubei e de pessoas de Hubei sendo assediadas em redes sociais. meios de comunicação.

O irmão Jia Xuewei e a irmã Shu Qiong, da igreja do pacto das chuvas, muito perseguida em Sichuan, estão entre vários cristãos que abriram suas casas para refugiados e se ofereceram para cobrir alojamento e pensão até Hubei levantar sua quarentena.

Falando à Fox News , Doug Perez, americano que reside em Wuhan, descreveu a situação como uma “experiência assustadora”, como “algo extraído de um filme de ficção científica”. Ele disse que, além do vírus, ele se preocupa com a reação do governo chinês.

“O governo aqui adotou uma resposta muito, muito rigorosa, muito rigorosa e muito proativa … a esse coronavírus”, disse Perez. “Não me surpreenderia se houver alguns problemas no futuro, especialmente, você sabe, escassez de alimentos ou agitação civil”.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *