Siga nossas redes sociais

Destaques

Prof pró-cannabis: ‘Mudei de ideias sobre a legalização’

Published

on

Um importante pesquisador mudou de ideia sobre a legalização da cannabis depois de ver os danos que ela causou no exterior. (Foto: Reprodução)

Sir Robin Murray, professor do Instituto de Psiquiatria do King’s College London, há muito acredita que, embora a cannabis possa ser prejudicial, a legalização regularia a droga e, portanto, a tornaria mais segura.

Mas depois de ver os resultados de outros países que legalizaram a droga Classe B, ele agora alerta o governo para não seguir o exemplo, sob o risco de uma onda de problemas de saúde mental.

Explosão – Embora Sir Robin acreditasse que a legalização levaria a uma redução na cannabis altamente potente, as evidências agora mostram que quando a droga é legalizada, mais pessoas a fumam, com mais frequência e em cepas mais fortes.

“A indústria da cannabis… não é confiável”

Isso levaria a um grande aumento no número de pessoas em tratamento para psicose induzida por cannabis e esquizofrenia, advertiu o principal psiquiatra.

Ele disse: “Eu não apreciei o quão grande a indústria da cannabis seria. Esses caras no Canadá e na Califórnia estão estabelecendo que a indústria da cannabis será tão grande quanto a indústria do tabaco. E, claro, eles não são confiáveis. ”

Clínica especializada – No ano passado, Sir Robin e sua colega pesquisadora, Dra. Marta Di Forti, lançaram uma clínica especificamente para pacientes que sofrem de psicose como resultado do uso de cannabis.

Di Forti, também do King’s College, disse que há “uma crise de cannabis de alta potência que simplesmente não podemos mais ignorar” e que a clínica está respondendo a essa crise.

Ela disse: “Por anos, famílias desesperadas não conseguiram ter acesso ao tratamento de que seus entes queridos precisam e simplesmente não conseguiram. Este tipo de clínica é mais urgente do que nunca.”

*Fonte: The Christian Institute.

 



Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *