Siga nossas redes sociais

Destaques

3.000 pessoas marcharam pela vida em Berlim

Published

on

Cerca de 3.000 marcham pela vida em Berlim. / Bundesverband Lebensrecht Facebook .

Os manifestantes pediram “a proteção do direito à vida desde a concepção” e “o fim da eutanásia e da barriga de aluguel, porque crianças não são bens”.

Mais de 3.000 pessoas participaram da “Marcha pela Vida” alemã que aconteceu em Berlim neste sábado, 19 de setembro.

Sob o lema “Nós amamos a vida!” E seguindo estritas medidas contra o coronavírus , milhares se levantaram pelos direitos humanos nas ruas, assistiram ao evento pela televisão ou em casa através de uma transmissão ao vivo.

“Mais proteção da vida”

A marcha foi organizada pela Bundesverband Lebensrecht (BVL) , uma organização que reúne diferentes organizações pró-vida alemãs. Alexandra Linder, Presidente da BVL, destacou que “ um estado constitucional humano só pode existir com dignidade humana , que todo ser humano possui incondicionalmente desde sua existência até sua morte”.

Os organizadores apresentaram várias demandas por “mais proteção à vida”. Eles pediram “o fim da eutanásia e do suicídio assistido ”; o fim da barriga de aluguel , porque “as mulheres não são máquinas de parto e as crianças não são bens ”; e o final do “ PGD ​​e exame de sangue pré-natal : a inclusão começa antes do nascimento”.

Além disso, pediram “a proteção do direito à vida desde a concepção: todas as crianças têm o mesmo valor; a preservação da Lei de Proteção de Embriões: Embriões são seres humanos plenos; para vacinas éticas : não use células de crianças abortadas na produção de vacinas; e o direito da gestante de receber ajuda, proteção e informação ”.

Singhammer: “A proteção do nascituro tem a ver com reconciliação e com paz”

ex-vice-presidente do Bundestag, Johannes Singhammer , participou da marcha. Ele agradeceu a todos os participantes da marcha “por lutar pelo direito à vida de todas as pessoas de forma tão pública e visível”.

3.000 pessoas marcharam pela vida em Berlim

Manifestantes no Portão de Brandenburgo./ Bundesverband Lebensrecht Facebook  

“ Proteger a vida humana também faz parte da proteção do meio ambiente . Não importa se nasce ou ainda não nasceu. A proteção da vida humana não nascida nada tem a ver com ódio e agitação, mas com reconciliação com a criação e com a paz ”, disse o político democrata-cristão.

Durante toda a marcha houve apresentações musicais da OutbreakBand e da cantora cega Bernarda Brunovic, bem como a apresentação do filme “Unplanned”, e testemunhos de diversas pessoas.

Contra-demonstrações

Várias contramanifestações também ocorreram ao mesmo tempo da “Marcha pela Vida” , incluindo manifestações não anunciadas que tentaram interromper a manifestação pró-vida.

Ativistas radicais pró-escolha entoaram vários slogans e colocaram pôsteres contra mensagens pró-vida, alguns deles ofensivos. De acordo com a polícia, os protestos permaneceram em grande parte pacíficos.

Saudações de líderes religiosos e políticos

A marcha terminou com um pequeno culto de adoração. O arcebispo católico romano de Berlim, Heiner Koch, destacou que “a proteção da vida não é uma questão de moralidade ou ética. Pelo contrário, é uma questão de graça ”.

presidente da Aliança Evangélica Alemã , Ekkehart Vetter , e o chefe da Conferência Episcopal Alemã, Georg Bätzing, enviaram suas saudações aos participantes.

Outras personalidades da política e da igreja também enviaram saudações por escrito. Philipp Amthor (CDU) apelou a vozes fortes que representem uma “imagem da sociedade orientada para os valores e afirmativa da vida. A lei deu ao estado um mandato claro para proteger a vida. A Lei Básica não é uma constituição para morrer ”.

Publicado em: Evangelical Focus – europa – 3.000 pessoas marcharam pela vida em Berlim

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *