Siga nossas redes sociais

Missões

Governo chinês paga por informações sobre cristãos secretos

Published

on

Todas as reuniãos de cristãos, que não foram autorizadas pelo governo chinês, são consideradas ilegais

Tecnologia também está sendo usada para vigiar cada ação dos seguidores de Jesus

A perseguição aos cristãos na China está cada vez mais acirrada. Agora, as autoridades do Escritório de Assuntos Étnicos e Religiosos do condado de Gushi anunciaram uma campanha para recompensar as pessoas que denunciassem atividades religiosas “ilegais”. Cada foto ou vídeo que provem a desobediência vale o equivalente a 72,80 dólares.

Como consequência, a igreja doméstica de Gushi foi acusada de organizar evento religioso sem aprovação do Estado. A denúncia resultou no confisco de propriedades pessoais e da instituição. Além disso, o pastor e a esposa dele foram levados para a delegacia. Em agosto, um acampamento cristão em Henan foi interrompido quando funcionários do governo invadiram o local e determinaram que as atividades que estavam acontecendo eram ilegais.

Tecnologia aliada na perseguição

De acordo com site britânico Comparitech, a China abriga 18 das 20 cidades mais monitoradas do mundo. Além disso, mais da metade das câmeras de vigilância do planeta estão em uso no território. “À medida que a rede de vigilância fica mais apertada, os cristãos – particularmente aqueles pertencentes a igrejas não registradas – terão muito mais dificuldade de se reunir, mesmo em pequenos grupos, não importa se digitalmente ou no mundo real”, diz Thomas Muller, analista de perseguição da Portas Abertas.

Há tempos, a organização internacional alertou que o aumento da vigilância digital, incluindo o uso de tecnologia biométrica e inteligência artificial, colocaria mais pressão sobre os cristãos chineses. Esses novos meios de controle social mantêm a opressão comunista e pós-comunista e paranoia ditatorial no país, que ocupa a 23ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *