Siga nossas redes sociais

Destaques

Maior aproximação de Júpiter e Saturno desde a Idade Média

Published

on

Posição da Lua, Júpiter e Saturno no céu de São Paulo, às 19h30 do dia 16 de dezembro. A configuração não difere muito em outras regiões do país (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech/Stellarium)

Neste mês de dezembro de 2020, testemunharemos no céu noturno a maior aproximação entre os dois maiores planetas gasosos do Sistema Solar desde a Idade Média — a última vez em que habitantes do nosso planeta puderam vê-los tão próximos foi em 4 de março de 1226.

A máxima aproximação começa no dia 16 de dezembro e acontece até o dia do Natal, com os dois planetas sendo separados por menos do que o diâmetro de uma Lua cheia. Imperdível, pois a próxima vez que isso acontecerá de novo será apenas em 15 de março de 2080!

O alinhamento entre Júpiter e Saturno no céu noturno é um evento relativamente raro — acontece uma vez a cada 20 anos. Contudo, em dezembro deste ano teremos a oportunidade de contemplar uma aproximação ainda maior entre os dois planetas — a última vez em que eles estiveram tão próximos no céu foi na Idade Média.

Desde agosto, temos visto a conjunção espetacular, podendo ser observada a olho nu, mesmo com a Lua cheia logo abaixo da dupla de gigantes gasosos. A aproximação que veremos em dezembro, contudo, é excepcionalmente rara, acontecendo pela última vez em 4 de março de 1226.

A partir do dia 16 de dezembro e até o dia do Natal, você poderá ver os planetas separados por menos do que o diâmetro de uma Lua cheia. A conjunção será visível em qualquer parte do globo terrestre, mas os habitantes do hemisfério Sul terão o privilégio de prestigiá-la por mais tempo. Outra boa notícia é que não será necessário ficar acordado até de madrugada para assistir ao evento.

Como observar a maior aproximação de Júpiter com Saturno

Posição da Lua, Júpiter e Saturno no céu de São Paulo, às 19h30 do dia 16 de dezembro. A configuração não difere muito em outras regiões do país (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech/Stellarium)

No dia 16, os planetas estarão um pouco acima do horizonte na direção oeste. A Lua crescente estará logo ao lado e seu brilho não deve atrapalhar a observação. Na verdade, Júpiter e Saturno podem aparecer tão brilhantes no céu que talvez seja possível vê-los já no pôr-do-Sol, por volta das 19h. O melhor momento para contemplá-los será às 20h, quando eles estiverem se aproximando do horizonte. Às 21h, eles já terão desaparecido.

Já nos dias seguintes, eles estarão cada vez mais perto do horizonte, sumindo cada vez mais cedo. No dia 25, por exemplo, você já não poderá observar a conjunção às 20h30. Portanto, sempre procure pelos planetas entre as 19h e 20h. Se você possuir um telescópio, provavelmente poderá observar as luas galileanas de Júpiter e os belíssimos anéis de Saturno.

Identificar Júpiter e Saturno durante esses dias não deverá ser um problema para os que não estão habituados à observação do céu noturno. No dia 16, eles serão uma dupla à direita da Lua, portanto, é fácil reconhecê-los. Uma vez que você os observe nesta data, poderá identificá-los nos dias seguintes. Se encontrar alguma dificuldade, pode utilizar aplicativos como o Carta Celeste, que mostram nomes de planetas e estrelas ao apontarmos a câmera do celular em direção os objetos que estamos vendo no céu.

Posição de Júpiter e Saturno no céu de São Paulo, às 20h do dia 25 de dezembro. A configuração não difere muito em outras regiões do país (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech/Stellarium)

Os dois planetas estarão em conjunção outra vez daqui a 20 anos (ou um pouco mais). Porém, uma aproximação como essa só acontecerá novamente em 15 de março de 2080. Depois disso, em algum momento de 2400. Ou seja: em dezembro, não perca a oportunidade de olhar para o céu e se admirar com os espetáculos proporcionados pela “dança orbital” dos planetas do Sistema Solar!

Fonte: canaltech.com.br

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *