Siga nossas redes sociais

Destaques

No terceiro aniversário de reconhecimento de Jerusalém, Netanyahu agradece a Trump pela ‘Proclamação histórica’

Published

on

MENAHEM KAHANA / AFP via Getty

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu marcou no domingo o terceiro aniversário do reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel pelos EUA, agradecendo ao presidente Donald Trump e pendurando uma cópia da proclamação do presidente americano na parede da sala do gabinete ao lado de uma proclamação de 1948 do então presidente Harry Truman reconhecendo o novo Estado de Israel.

“Exatamente três anos atrás, o presidente Trump se tornou o primeiro líder mundial a reconhecer  Jerusalém  como a  capital  de Israel”, disse Netanyahu.

“Essas duas proclamações históricas nunca serão esquecidas. Eles nunca serão esquecidos pelo povo judeu e pelo estado judeu. Eles serão estimados por gerações. ”

Ele passou a listar outras “decisões históricas” de Trump, incluindo: o reconhecimento da soberania de Israel sobre as Colinas de Golã; reconhecendo os “direitos legítimos” de Israel na Cisjordânia; sua proposta de plano de paz para resolver o conflito israelense-palestino; e intermediar os históricos Acordos de Abraão, que ele disse, “inaugurou um novo período de paz que está mudando dramaticamente a face do Oriente Médio diante de nossos próprios olhos”.

Ele também agradeceu a Trump por descartar o “perigoso acordo nuclear com o Irã, impôs sanções incapacitantes ao Irã e tirou o terrorista mais perigoso do mundo, Qassem Soleimani”.

“Ele levou a aliança EUA-Israel a alturas sem precedentes”, disse Netanyahu.

“Nós, em Israel, estamos profundamente gratos por tudo o que você fez por Jerusalém, por Israel, por trazer a paz e por levar a aliança EUA-Israel a níveis sem precedentes”, disse o primeiro-ministro.

Observando o início do feriado de Hanukkah na quinta-feira, Netanyahu acrescentou: “Graças a você, Sr. Presidente, nós, os descendentes dos Macabeus, podemos celebrar que a aliança entre o Estado judeu renascido e o país mais poderoso do planeta é mais forte do que sempre.”

O embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman, também falou, dizendo que Trump “reconheceu a história de 3.000 anos de Jerusalém e sua centralidade para o povo judeu. E ele concretizou a vontade do povo americano, cujos líderes aprovaram a Lei da Embaixada de Jerusalém de 1995 por esmagadoras maiorias bipartidárias ”.

“Ao reconhecer Jerusalém, o presidente Trump também fez outra coisa. Ele enviou uma mensagem clara ao mundo de que os Estados Unidos estão firmes ao lado de seus aliados e que baseiam sua política externa na verdade, não em ilusões ou fantasias ”, disse Friedman.

“Em nome do presidente Trump e dos Estados Unidos da América, agradeço ao senhor primeiro-ministro por suas amáveis ​​palavras e por fazer esta proclamação parte da gloriosa história dos Estados Unidos e de Israel”, acrescentou.

Fonte:https://www.breitbart.com/

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *