Siga nossas redes sociais

Destaques

Extremistas islâmicos matam centenas na República Democrática do Congo

Published

on

Ataques constantes a cristãos fez com que o Congo subisse no ranking da perseguição Crédito: Portas Abertas

Três ataques em massa aconteceram desde o início de 2021

Mais de 100 pessoas perderam a vida em pelo menos três ataques em massa, realizados por um grupo extremista islâmico no leste da República Democrática do Congo. Os ataques teriam sido realizados pelas Forças Democráticas Aliadas (ADF, da sigla em inglês), portando armas e facões, desde o início de 2021 

Em 14 de janeiro, aproximadamente 45 pessoas pertencentes a um grupo minoritário étnico foram mortas em um ataque de supostos militantes da ADF, na província de Ituri. No dia 4 de janeiro, cerca de 22 civis foram assassinados durante um ataque noturno na vila de Mwenda, na região de Beni. E, de acordo com fontes locais, mais de 17 congoleses foram agredidos até a morte em outro ataque a uma vila próxima, na semana anterior.

A Portas Abertas noticiou a morte de 30 pessoas em outro ataque da ADF na vila de Tingwe, também na região de Beni, em 31 de dezembro de 2020. “Uma guerra foi declarada contra a RDC”, disse o governador da província Carly Nzanzu Kasivita após a morte relatada de sete civis em outro ataque em 30 de dezembro. Uma “mobilização nacional e internacional” foi necessária para acabar com a violência em curso, disse ele.

Observadores dizem que o número de ataques atribuídos à ADF vem aumentando em número e intensidade desde o início de uma ofensiva do exército contra o grupo em outubro de 2019. Segundo cidadãos locais, mais de 1.200 civis foram mortos pelo grupo militante islâmico. As Forças Democráticas Aliadas, também conhecidas como Defesa Muçulmana Internacional, atacam comunidades há décadas, quando aproveitam para matar e sequestrar cristãos, e treinar e enviar jihadistas para outros países da África.

“Não sabemos o número exato de cristão envolvidos nos ataques, mas como a República Democrática do Congo apresenta população 95% cristã, muitos mortos eram seguidores de Jesus. Essas comunidades predominantemente cristãs são atacadas por um grupo extremista islâmico com uma clara agenda expansionista islâmica.”, conta uma parceira Portas Abertas da África Subsaariana. A República Democrática do Congo ocupa o 40º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os cristãos são pressionados a abandonar o evangelho.

Violência no Congo

A República Democrática do Congo entrou para o top 50 na Lista Mundial da Perseguição 2021 após um aumento da perseguição aos cristãos. Sua ascensão acentuada reflete a violência extrema infligida à comunidade cristã no país. Em algumas partes do território, os cristãos estão sob risco constante de violência brutal.

A Portas Abertas promove apoio espiritual por meio de campanhas de oração em favor dos cristãos na República Democrática do Congo. 

E você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para os lugares onde a necessidade é mais urgente.  

Fonte : Portas Abertas

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *