Siga nossas redes sociais

Destaques

Pastor é detido injustamente no Irã

Published

on

O líder Yousef Nadarkhani é perseguido no Irã por realizar atividades cristãs desde 2006 Foto: Article 18

ONU comenta em relatório a situação do líder cristão preso no país

De acordo com um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o governo do Irã estaria detendo arbitrariamente o pastor Yousef Nadarkhani. Um grupo de trabalho da ONU pediu a libertação do líder e exigiu que o Estado o indenizasse por isso. Além disso, o grupo pede ao governo para “garantir uma investigação completa e independente das circunstâncias em torno da privação arbitrária de liberdade do pastor Nadarkhani e tomar as medidas apropriadas contra os responsáveis pela violação de seus direitos”.

O pastor Yousef Nadarkhani é perseguido e preso por realizar atividades cristãs desde 2006. A última prisão aconteceu em 2018. Nos últimos meses, ele ouviu que sua pena havia sido reduzida de 10 para seis anos, mas ele continua condenado a dois anos de exílio após sua libertação da prisão de Evin, programada para 2025.

“O aumento da pressão da ONU transmite ao Irã a mensagem de que a busca de liberdade dos cidadãos é importante para a sociedade mundial. Esse também é um bom lembrete para os países ocidentais de que nas negociações com o Irã, as preocupações com os Direitos Humanos devem ser uma prioridade estratégica chave”, conta o diretor de Advocacia do portal britânico Article18, Mansour Borji.

Histórico de prisões de cristãos

Um dos três cristãos que foram presos junto com Nadarkhani em 2018, Mohammad Ali Mossayebzadeh, foi solto em 22 de fevereiro. Ele havia se distanciado dos companheiros prisioneiros e pouco se sabe sobre as circunstâncias em torno da libertação, mas “entende-se que ele foi pressionado a retratar sua fé a fim de garantir uma libertação antecipada”, publicou o Article18.

As autoridades também libertaram Ebrahim Firouzi da prisão sob fiança após três semanas de detenção. O convertido cristão, que vive no exílio no Sudeste do Irã após seis anos de detenção, foi preso novamente no mês passado sob a acusação de “propaganda contra a República Islâmica em favor de grupos hostis”. As novas acusações referem-se a seis vídeos em que Firouzi fala sobre as violações de direitos contra ele. Embora ele esteja fora da prisão, as acusações não foram retiradas.

No mês passado, o Conselho das Igrejas Iranianas Unidas, ou Hamgaam, pediu a libertação imediata e incondicional de Firouzi e o fim do assédio em curso, dizendo que o governo não havia parado de assediar o líder cristão “mesmo no exílio”.

Perseguição a cristãos no Irã

O Irã é o 8º país da Lista Mundial da Perseguição 2021, que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo. As prisões arbitrárias de líderes e membros de comunidades cristãs acontecem quase que diariamente e as condições em que são presos são precárias.

A Portas Abertas apoia a igreja no Irã através de parceiros. As atividades incluem presença em ministério on-line, produções multimídia e advocacy. Uma atenção especial também é dada aos líderes cristãos, mulheres, ex-prisioneiros, jovens e crianças. 

DIP 2021

O tema do Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2021 é sobre os cristãos presos no Irã, Coreia do Norte e Eritreia. Esteja conosco nessa jornada de oração pelos nossos irmãos encarcerados. Envolva sua igreja nesse movimento de oração e tenha acesso aos materiais exclusivos e detalhes para realização do evento.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *