Siga nossas redes sociais

Entretenimento

REFLEXÕES SOBRE A LIBERDADE RELIGIOSA: A GUERRA ENTRE O BEM E O MAL

Published

on

foto reprodução internet

Para os Comunistas a única autoridade superior é o Partido. Assim sendo, a ideologia comunista sempre foi contra o Cristianismo, visto como um grande adversário que deveria ser combatido, porque para os Comunistas não foi Deus quem criou o homem, mas o homem quem criou Deus como artifício utilizado pela burguesia para manter a dominância econômica sob a classe proletária. Logo o Cristianismo deveria ser extinto devido ao seu poder de manipulação.

O intuito dos Comunistas sempre foi estimular uma verdadeira campanha anticristã, pondo em dúvida a fé das pessoas, para introduzir somente os valores materiais em nome da igualdade material entre as pessoas.

Acontece diariamente não só no Brasil como no mundo uma verdadeira guerra travada entre a ideologia comunista e os homens de Deus. Os anos se passaram desde o fim da União Soviética, no entanto a atual esquerda socialista utiliza os mesmos antigos princípios do comunismo bolchevique na intenção de minar o Cristianismo.

Esse ataque acontece de um modo indireto, através da intervenção do Estado, com a criação de novas leis e decretos que interferem diretamente na realização de cultos e na liberdade de manifestação religiosa das pessoas.

Explorando o ponto de vista filosófico, mesmo para os próprios ditos “socialistas de carteirinha“, é inegável admitir que desde os primórdios da humanidade o homem cultiva emoções e sentimentos no seu âmago em busca de respostas para questões inerentes ao homem como a busca do amor, afeto e a existência de algo superior.

Voltando mais ainda na história do mundo, sugiro um convite para a reflexão sobre a teoria do Big Ben, ou mesmo bem antes disso, na qual mesmo com o passar dos anos, nos resta uma única pergunta que não quer calar: Quem criou tudo isso? Não poderíamos caracterizar essa criação como uma forma da presença de Deus? Será que realmente o homem não é parte da criação de Deus e não o contrário?

Portanto, é incontestável que a evidência divina na vida das pessoas está clara, pois a maior parte da população brasileira é cristã, cultiva a crença em Deus e Jesus, que estão muito além da nossa compreensão. 

Se fizermos um comparativo com o comunismo, ele também, nada mais é que um tipo de “religião“, pois os adeptos da sua ideologia partidária também suas crenças e ritos, mas que dentro do seu conceito de pensamento materialista, impõe somente acreditar naquilo que podemos ver.

É importante ressaltar que assim como no Comunismo, Deus prega regras e condutas que buscam uma sociedade mais igualitária, solidária com base no amor, fraternidade e compaixão, mas que também sabe se torna opressor quando um indivíduo comete suas falhas. 

A parte material indiscutivelmente é importante, pois é através dela chegamos até hoje a todas as conquistas científicas, mas não podemos deixar de lado a religião que dá sentido à existência humana.

Podemos citar como, por exemplo, as conquistas científicas e as grandes descobertas através do projeto genoma, que através da coleta de uma gota de sangue humano e análise microscópica pode se descobrir estrutura tridimensional da molécula de DNA e a individualidade de cada ser.

Entretanto, quando mais se desenvolvem os microscópios, a fim de se ver as menores partículas do átomo, e os telescópios, para ser cada vez mais longe espaço sideral, cada vez mais os cientistas se convencem de que não existe um ponto final tanto para micro quanto para o macrocosmo, de que na verdade, a realidade material é infinita e está muito além da compreensão científica.

Com relação à visão Comunista, voltamos mais uma vez à premissa: O que eu não vejo não existe, portanto, se não vejo Deus, ele não existe e foi criada pelo homem, com isso, a visão materialista impede nosso processo de aprendizado e expansão dos nossos conhecimentos. Limitamos todas as possibilidades que o infinito pode proporcionar, tornando o mundo mais chato, através de uma igualdade criada por uma linha de produção em massa.

E justamente o autoritarismo surge de regimes Comunistas que são contra Deus e pregam uma falsa liberdade individual, longe das obrigações religiosas para poder impor uma filosofia de obrigação única e exclusivamente para com o Partido.

Esse tipo de imposição estabelece a destruição da raiz de sentimentos que vem através dos valores de família, amor e compaixão e vai contra o que vem da natureza humana. A impressão que se tem é de que quem nega a existência de Deus, o faz por não querer ter a obrigação de vivenciar os ensinamentos bíblicos.

Se Deus couber dentro do cérebro humano, ele não é Deus.  Porque essa força ultrapassa o entendimento e transborda da consciência humana e no final reafirma que o mundo religioso é muito mais livre e amplo, pois liberta a alma dos limites materiais.

Sobre o Autor:
Nascido em Jaffa, Israel, Gad Adler é filósofo, terapeuta motivacional e palestrante formado em História das Religiões pela Universidade de Tel Aviv, escreveu o livro “Você não pode tudo! Mas pode e merece ser feliz“; é criador do método Melhor Maneiro de aperfeiçoamento emocional, espiritual e da consciência para uma vida melhor, além de  administrar o site:www.melhormaneira.com.br com conteúdo motivacional e que leva o mesmo nome da técnica.

Assessoria de imprensa:

Marcos Mascaretti