Siga nossas redes sociais

Politica

Pazolini, vereadores e pastores reforçam parceria para acelerar vacinação

Published

on

Prefeito Pazolini recebeu os pastores para agradece-los pela parceria
Compartilhe

O prefeito se reuniu com as lideranças religiosas que disponibilizaram os espaços onde irão acontecer a vacinação contra a Covid

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, recebeu diversos pastores evangélicos em seu gabinete na última quarta-feira. O objetivo do encontro foi reforçar a parceria com as igrejas para ajudar no processo de vacinação contra a Covid na Capital.

Estiveram presentes o presidente da Câmara de Vitória, Davi Esmael, e os pastores João Brito (IEBV); Luiz Fernando Pita (Maranata); Eli Souza Júnior (PIBJC) e Marcus Uesley de Souza, da Casa de Oração.

Cumprindo seu papel social, as igrejas evangélicas de Vitória disponibilizaram seus espaços para vacinar a população.

Ao todo, são quatro pontos cedidos pelas Igrejas Maranata, Batista de Jardim Camburi, Igreja Evangélica Batista de Vitória (IEBV) e Casa de Oração do Avivamento em Nova Palestina.

“Sabemos da relevância das igrejas. Fica aqui nosso agradecimento pela infraestrutura e pela logística que estão fazendo a diferença na vacinação e, conseguentemente, garantindo a vida dos capixabas e moradores de Vitória”, disse o prefeito.

O presidente da Câmara de Vitória, Davi Esmael, afirmou que as igrejas têm mostrado sua importância nesse processo de vacinação em Vitória e a decisão de ceder seus espaços têm contribuído bastante para colocar o município na liderança dos que mais aplicaram doses de vacina no Estado.

“Essa é uma decisão inédita. A igreja abre suas portas e se apresenta para ajudar no enfrentamento contra a Covid. Os pontos cedidos na cidade estão distribuídos geograficamente e vão permitir o avanço e a aceleração da vacinação na Capital. A Bíblia fala que a fé sem obras é morta. Então as igrejas estão fazendo a parte delas e se colocando à disposição para contribuir nesse processo”.

O pastor Marcus Uesley de Souza, da Casa de Oração, lembra que as igrejas já fazem seu papel social em todo o tempo e que agora mais uma vez estão mostrando a importância que tem para a sociedade.

“Eu vejo essa decisão de forma positiva. A questão social sempre esteve presente na igreja. Durante a pandemia, além do apoio emocional, agora estamos cedendo também nossos espaços físicos. Entendo que isso é mais que uma obrigação nesses tempos que estamos vivenciando.

Fonte :/esbrasil.com.br