Siga nossas redes sociais

Politica

O governo não deve forçar as escolas a abrir dormitórios femininos para homens com base em sua redefinição de ‘sexo’, segundo a universidade.

Published

on

O College of the Ozarks, faculdade de artes liberais, em Point Lookout, Missouri, EUA, está processando o governo Biden por uma ordem de fevereiro que obriga qualquer entidade que receba verbas federais do Fair Housing Act a colocar mulheres transgêneros nos quartos femininos.

A universidade cristã argumenta que a regra emitida pelo Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano força as escolas religiosas violarem as suas crenças e acrescenta que a ordem emitida foi “sem aviso prévio ou oportunidade para comentários públicos”

O governo não considerou as políticas alternativas em respeito aos interesses das faculdades religiosas privadas, obrigando as mesmas a colocarem os identificados como transgêneros como companheiros nos quartos das meninas.

Violação dos direitos

A representante da escola, Alliance Defending Freedom (ADF), afirma que a diretriz é uma violação dos direitos das mulheres baseando-se no sexo e nas liberdades religiosas da escola.

“O governo não pode e não deve forçar as escolas a abrir dormitórios femininos para homens com base em sua redefinição inadequada e politicamente motivada de ‘sexo’”, disse Julie Marie Blake, conselheira sênior da ADF, em comunicado.

“As mulheres não deveriam ser forçadas a compartilhar espaços privados – incluindo chuveiros e dormitórios – com homens, e as escolas religiosas não deveriam ser punidas simplesmente por causa de suas crenças sobre casamento e sexo biológico”, continuou.

Para ela, o governo Biden tem exagerado e continua lastimando as mulheres, meninas e pessoas de fé, acabando com os seus direitos legais, e isso não pode continuar.

Os infratores desta diretriz enfrentarão potencialmente multas e danos punitivos.

Em um comunicado em seu site sobre o processo, a faculdade disse que “mantém a crença cristã de que o sexo biológico não é mutável e opera seus dormitórios de acordo”. “As crenças religiosas sinceras da faculdade influenciam suas políticas, incluindo as políticas de dormitório, que proíbem os alunos do sexo masculino de viver em residências femininas e vice-versa.” Comentando sobre o processo no Twitter na sexta-feira, o evangelista Franklin Graham elogiou a escola por sua “posição ousada” e perguntou: “Você pode acreditar que esse governo exagerou?”

  • Com informações The Christian Post