Siga nossas redes sociais

Destaques

Biden diz que o Taleban não é uma ameaça, os americanos não estão impedidos de chegar ao aeroporto, apesar de relatos

Published

on

O presidente dos EUA, Joe Biden, responde a perguntas sobre as evacuações militares dos EUA de cidadãos americanos e afegãos vulneráveis, na Sala Leste da Casa Branca em Washington, DC, em 20 de agosto de 2021. Biden disse na sexta-feira que não viu os aliados dos EUA questionarem os EUA credibilidade sobre a conduta de sua retirada do Afeganistão quando o Taleban assumiu o controle do país. | ANDREW CABALLERO-REYNOLDS / AFP via Getty Images

O presidente Joe Biden disse que o Taleban não é uma grande ameaça aos Estados Unidos e está permitindo que os cidadãos americanos cheguem ao aeroporto sem impedimentos para evacuações do Afeganistão, em defesa de seu tratamento da retirada. 

Em uma entrevista coletiva na sexta-feira , o presidente falou sobre a evacuação de americanos e afegãos em meio à rápida tomada de controle pelo Taleban.

Biden começou divulgando o “progresso significativo” feito na evacuação das pessoas, afirmando que cerca de 5.700 pessoas, incluindo 169 americanos “que pularam o muro usando meios militares”, foram expulsos do país na quinta-feira.

De 10.000 a 15.000 americanos ainda não foram evacuados do Afeganistão.

O presidente disse que o governo dos EUA “não tem o número exato” de americanos que estão no Afeganistão ou onde estão localizados e está trabalhando para “verificar” seu paradeiro. 

Na sexta-feira, o aeroporto de Cabul foi fechado por mais de oito horas em meio a preocupações de que a base de evacuação dos EUA no Catar estava rapidamente ficando superlotada com refugiados afegãos. 

“Protegemos o aeroporto, permitindo a retomada dos voos”, disse Biden. “Agora temos quase 6.000 soldados em terra, incluindo o 82º Aerotransportado, fornecendo segurança para a pista.”

“Este é um dos maiores e mais difíceis transportes aéreos da história. E o único país do mundo capaz de proteger tanta potência do outro lado do mundo com esse grau de precisão são os Estados Unidos da América. ”

Biden disse que cerca de 18.000 pessoas foram evacuadas do Afeganistão desde julho e 13.000 desde o início do transporte aéreo em 14 de agosto, quando o Taleban assumiu o controle de áreas importantes no Afeganistão antes de assumir o controle de Cabul no domingo.   

Biden respondeu a algumas perguntas de repórteres, um dos quais perguntou ao presidente se ele enviará tropas a Cabul para resgatar americanos que não conseguiram chegar ao aeroporto para deixar o país.

Ele respondeu dizendo: “não temos nenhuma indicação de que” os americanos que buscam fugir do país não tenham conseguido chegar com segurança ao aeroporto de Cabul.   

“Fizemos um acordo com o Taleban”, respondeu o presidente. “Eles permitiram que eles passassem. É do interesse deles deixá-los passar. Não conhecemos nenhuma circunstância em que cidadãos americanos estejam portando passaporte americano tentando chegar ao aeroporto. Mas faremos o que for preciso para garantir que eles cheguem ao aeroporto. ”

Na quarta-feira, a Embaixada dos Estados Unidos em Cabul enviou um alerta de segurança publicado online , observando que os Estados Unidos “não podem garantir uma passagem segura para o Aeroporto Internacional Hamid Karzai.

Em resposta a uma pergunta separada sobre o resgate de americanos presos atrás dos postos de controle do Taleban, Biden disse que está considerando maneiras de evacuar esses cidadãos, mas acrescentou que os EUA não estariam expandindo o perímetro de segurança fora do aeroporto. 

Por sua vez, Biden disse que os EUA e aliados continuarão vigilantes em relação ao Afeganistão, tanto em relação a potenciais ameaças terroristas como a abusos dos direitos humanos.

De acordo com Biden, isso incluiria fazer “pressão internacional sobre o Taleban com relação ao tratamento do povo afegão em geral, mas incluindo mulheres e meninas afegãs”.

Quando questionado se as consequências da retirada prejudicaram a reputação da América, Biden respondeu: “Não vi questionamento de nossa credibilidade por parte de nossos aliados em todo o mundo. Na verdade, vi exatamente o oposto.” 

A pergunta surgiu depois que um ex-funcionário do governo Obama criticou os assessores do presidente, chegando mesmo a pedir sua demissão. 

“O presidente Biden precisa demitir seu conselheiro de segurança nacional e vários outros líderes seniores que supervisionaram a execução malfeita de nossa retirada do Afeganistão”, escreveu Brett Bruen, que atuou como diretor de engajamento global na Casa Branca de Obama, em um artigo do USA Today. -ed na segunda-feira. “Ele precisa reestruturar como e com quem está tomando decisões de política externa, permitindo mais contribuições de especialistas de carreira.”

Em uma entrevista à Fox News na quinta-feira, Bruen acrescentou: “O que vemos no NSC (Conselho de Segurança Nacional) é um monte de nomeados políticos, mas não as pessoas que têm a experiência relevante.” 

Depois de um comitê de emergência do Cobra na sexta-feira, o primeiro-ministro do Reino Unido Boris Johnson disse que as consequências da retirada dos EUA deixaram o Afeganistão em uma situação “precária”. 

“Então, quando os Estados Unidos decidirem enfaticamente se retirar da maneira que fizeram, então claramente teremos de administrar as consequências”, disse Johnson, de acordo com o The Telegraph.

O presidente também foi questionado sobre um telegrama secreto enviado ao secretário de Estado, Antony Blinken, em julho, assinado por 23 funcionários da embaixada dos EUA em Cabul, levantando preocupações sobre o colapso das forças de segurança afegãs e a tomada do Taleban. 

Biden disse: “Recebemos todos os tipos de telegramas, todos os tipos de conselhos. … Aceitei a opinião consensual … de que, de fato, isso não ocorreria, e se ocorresse até o final do ano.”

Após a retirada das tropas americanas no Afeganistão, o Taleban rapidamente assumiu o controle de grande parte do país, eventualmente tomando a capital Cabul e forçando o governo a fugir.

Em resposta à velocidade inesperada com que retomaram a nação, um grande número de americanos, aliados afegãos e outros tentaram desesperadamente deixar o país.

Um retorno ao domínio do Taleban no Afeganistão levou muitos a expressarem preocupação com o tratamento dispensado às mulheres, bem como às minorias religiosas, como a pequena comunidade cristã.

No site do grupo missionário Frontier Alliance International, um pastor anônimo postou uma declaração dizendo que o Taleban já estava reprimindo os cristãos.

“O Taleban tem uma lista de alvos de cristãos conhecidos que eles almejam perseguir e matar. A Embaixada dos Estados Unidos está extinta e não há mais um lugar seguro para os crentes se refugiarem ”, afirmou a figura, conhecida apenas como“ Pastor X ”.

“Todas as fronteiras com os países vizinhos estão fechadas e todos os voos de ida e volta foram interrompidos, com exceção de aviões privados. As pessoas estão fugindo para as montanhas em busca de asilo. Eles dependem totalmente de Deus, que é o único que pode e irá protegê-los. ”

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *