Siga nossas redes sociais

Destaques

‘Só Resta Emmanuel’: como os cristãos no Afeganistão agora vivem sob o domínio do Taleban

Published

on

(Foto: Suliman Sallehi / Pexels)

Os cristãos afegãos mantêm sua única esperança depois que toda a ajuda terrena foi retirada deles. “Só resta o Emmanuel: Jesus conosco” é o grito deles.

O Portas Abertas  espera que a Igreja global se una e esteja presente em oração pelas pessoas que sofrem com a guerra e o derramamento de sangue, algo que daria aos afegãos, especialmente aos cristãos e outras minorias, força e coragem.

Homens, mulheres e crianças teriam se aglomerado nos portões do aeroporto de Cabul, pedindo licença esta semana. Era aqui que as circunstâncias eram “horríveis”, conforme descrito na na na Atualização de Oração do Watchdog de Perseguição  de 27 de agosto.

Como revisão, em um único atentado suicida na quinta-feira da semana passada, um total de 85 pessoas foram assassinadas. Aconteceu em um portão do aeroporto, onde o dispositivo disparou. Os especialistas agora concluem que o que originalmente se pensava serem dois ataques a bomba separados era, na verdade, apenas um dispositivo.

As explosões resultaram na morte de 72 afegãos, incluindo 28 militantes do Taleban, bem como 13 soldados do exército dos Estados Unidos.

Os responsáveis ​​pelos ataques eram membros do Estado Islâmico de Khorasan (ISIS-K), facção ligada à organização do Estado Islâmico.

O Portas Abertas observou que o ataque mais recente ocorreu depois que o Taleban supostamente conduziu buscas de casa em casa em Cabul , onde procuraram indivíduos que acreditavam poder ameaçar seu regime islâmico brutal.

O atual governo está conduzindo uma caça aos afegãos que cooperaram com o Ocidente, especialmente professores, cidadãos LGBTQ + e não muçulmanos. Os cristãos, em particular, estão sob ameaça iminente.

De acordo com o diretor de comunicações do Portas Abertas para a Ásia, Jan Vermeer, os cristãos no Afeganistão se sentem traídos por seus aliados internacionais, que os abandonaram à mercê do governo do Taleban.

Eles esperavam que esse dia chegasse eventualmente, então eles estavam pelo menos mentalmente prontos para isso, mas isso não reduz a agonia que causa.

“Todos estão com medo e os cristãos estão reagindo de maneira diferente”, acrescenta Vermeer. “Alguns estão tentando escapar do país – ou já fugiram – enquanto outros decidiram ficar e permanecer crentes secretos. Alguns querem escapar, mas não podem. Alguns não sabem o que fazer.”

Espíritos resilientes

Os comentários de Vermeer foram ecoados por uma fonte local. Por questões de segurança, a fonte não pode ser identificada ou sua localização divulgada; no entanto, eles estão na área e têm plena consciência das dificuldades que cristãos e não-cristãos estão enfrentando no Afeganistão.

Em termos de ataques iminentes, o insider local disse que “não é uma questão de se, mas quando e quando vier, quase nunca estaremos prontos para enfrentar o que está diante de nossos olhos.”

De acordo com a fonte, sem dúvida haverá alguns que serão imobilizados pelo terror, assim como outros que se submeterão. No entanto, sempre haverá entre eles alguns que estudaram, cujos entendimentos foram ampliados e cuja perspectiva mudou como resultado de suas experiências.

Assim, o insider disse que procurará “caminhos, soluções, raízes para seguir e fazer as coisas de forma diferente”.

“Vamos desafiar o status quo e lutar por aquilo pelo qual não só os ocidentais, mas também nossos próprios pais e avós deram suas vidas. O direito de aprender, o direito de ser, a liberdade de sonhar e a liberdade de adorar; é por isso que lutaremos. Por favor, fique conosco em solidariedade “, acrescentou a fonte.

Agora, a única coisa que os crentes que foram abandonados procuram é a oração. Para ser mais preciso, orações por eles.

” Só sobrou o Emmanuel: Jesus conosco. “

O retorno da lei Sharia

De acordo com o líder do Taleban, Waheedullah Hashimi, que falou à Reuters , o Afeganistão não será uma democracia se o Taleban chegar ao poder e seu objetivo for impor a lei sharia, não criar nova legislação.

“Não haverá sistema democrático porque não há nenhuma base em nosso país”, disse ele à Reuters. “Não discutiremos que tipo de sistema político devemos aplicar no Afeganistão porque é claro. É a lei sharia e é isso.”

Consequentemente, o Portas Abertas destacou a história aterrorizante do Taleban durante seu duro reinado na década de 1990, que incluiu severas restrições contra as mulheres e penas horríveis para os não-muçulmanos, incluindo aqueles que se converteram ao Cristianismo.

Hamid, um cidadão local, expressou sua preocupação em uma entrevista à CBN de  que o Talibã massacraria a comunidade cristã.

O caos e um mal-estar geral tomaram conta do Afeganistão.

Defensores dos direitos humanos e organizações dedicadas a ajudar civis afegãos perseguidos ainda estão defendendo a intervenção da comunidade internacional, inclusive pedindo que as pessoas orem.

Fonte:https://www.christianitydaily.com/