Siga nossas redes sociais

Artigos

A dignificação da mulher

Published

on

Compartilhe

Lembrar de como tudo começou é sempre fascinante. Quando acompanhamos a criação no livro de Gênesis, lemos algo muito precioso ao fim do sexto dia: “E Deus viu tudo o que havia feito, e tudo havia ficado muito bom. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o sexto dia!” O Senhor viu todo o seu trabalho e percebeu que tudo havia ficado muito bom, inclusive o homem e a mulher.

Aliás, não sei quanto a você, mas toda vez que leio sobre a reação de Adão ao ver Eva fico imaginando o brilho nos seus olhos. Deve ter sido igual ao olhar dos noivos ao avistarem sua noiva no dia do casamento: cheio de orgulho e deslumbramento.  “Essa sim é osso dos meus ossos e carne da minha carne!”  Adão tinha alguém para dividir a vida, trazer uma nova perspectiva e leveza para seu mundo.  Deus planejou homem e mulher e viu que era muito bom.

Ao longo da história humana, infelizmente testemunhamos acontecimentos que parecem negar a beleza e importância da criação da mulher. Certamente um reflexo de Gênesis 3, quando o pecado entra no mundo e transforma a dinâmica dos relacionamentos com Deus e os relacionamentos interpessoais. Contudo, não é assim com o Senhor. O relato bíblico conta com muitas protagonistas, instrumentos de Deus para cumprir seus propósitos!

Raabe demonstra toda sua coragem ao arriscar sua vida e de toda sua família quando esconde os homens enviados por Josué para espiar a terra que Deus havia prometido. Ela sabia que as autoridades estavam em busca dos espias, mas temeu a Deus, pois tinha ouvido sobre os feitos do Senhor e reconhecido que ele era Deus!

Débora era uma mulher de Deus. Uma profetisa que foi colocada em posição de autoridade numa época em que não havia rei em Israel. Ela deixou sua marca na história de Israel com seu discernimento, sabedoria, força e confiança no Senhor. O exército de Israel foi vitorioso seguindo sua liderança.

Abigail vivia um casamento difícil com um homem cruel. No entanto, ela não se deixou macular por sua impiedade. Ela demonstrou toda sua sabedoria e caráter apaziguador quando seu marido entrou numa briga injusta com Davi. O conflito poderia ter resultado em derramamento de sangue de vidas inocentes, mas Abigail com sua diplomacia mudou o rumo da história.

A jovem Maria teve o privilégio de dar à luz a Jesus, nosso Salvador. Essa gestação poderia trazer muitos problemas para sua vida, mas sua confiança no Deus a quem servia a levou a uma entrega completa: “Sou serva do Senhor; que aconteça comigo conforme a tua palavra” – obediência, entrega e confiança e o privilégio de participar diretamente na chegada do Salvador ao mundo.

Dorcas ficou conhecida por sua generosidade expressada mediante suas mãos habilidosas. Seus olhos atentos e sensíveis às necessidades de suas amigas viúvas logo a levavam a ação. Com mãos hábeis, essa discípula demonstrava seu amor em ações. Os residentes em Jope amavam Dorcas pelas suas obras de caridade humildes, bondosas e contínuas.

A narrativa bíblica nos conta não apenas que mulheres foram alcançadas e transformadas pelo amor de Deus, como também foram importantes instrumentos em suas mãos e no cumprimento dos seus planos. Deus presenteou as mulheres com sabedoria, confiança, discernimento, coragem, força, diplomacia, resiliência e muito mais. Ele as colocou em lugares de destaque e importância muito além dos relatos bíblicos. Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre. E continua a salvar, transformar, capacitar e convidar mulheres para estabelecerem seus planos na terra.

A mulher exerce posição de liderança em seu próprio lar gerenciando uma casa, ensinando seus filhos, transformando a história a partir dali. Mas sua influência vai muito além do seu lar. Nos dias atuais, a diplomacia da mulher está presente em importantes papéis políticos. Seu conhecimento é generosamente usado para transformar mentes nos estabelecimentos de ensino e nas empresas. Seus olhos atentos, sua força, sua coragem e criatividade marcam presença nos consultórios médicos, nos cargos executivos, nos seminários bíblicos, nas ONGs que lutam por justiça bíblica, nas igrejas. Uma mulher transformada pelo amor de Cristo, enraizada nele, leva seu doce aroma por onde passa.

 O Senhor viu todo o seu trabalho e percebeu que tudo havia ficado muito bom, inclusive o homem e a mulher.  Que homem e mulher juntos continuem a ser instrumentos do Senhor no cumprimento de seus propósitos aqui na terra.

Susie Pek é coordenadora do Ministério Mulheres de Esperança RTM para Brasil, América Latina e Caribe.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *