Siga nossas redes sociais

Variedades

O tratamento da epilepsia em adultos reduz as convulsões em crianças

Published

on

foto reprodução internet
Compartilhe

As convulsões foram reduzidas em crianças a partir dos 3 anos que receberam neuroestimulação responsiva

Um tratamento cirúrgico comumente usado para reduzir as crises epilépticas em adultos também é eficaz e seguro para crianças, de acordo com um estudo de Rutgers.

O estudo, publicado na revista Neurosurgery , é um dos primeiros a investigar o sistema de neuroestimulação responsiva (RNS) – um dispositivo semelhante a um marca-passo que envia cargas elétricas ao coração, que fornece estimulação diretamente ao cérebro quando necessário para prevenir convulsões – em crianças.

Até 40 por cento das pessoas que sofrem de ataques epilépticos não respondem à medicação. O RNS, que é implantado no cérebro e monitora as ondas cerebrais, detecta convulsões e atividades elétricas incomuns que podem levar a convulsões e, em seguida, fornece pequenos impulsos de estimulação para ajudar as ondas cerebrais a voltarem ao normal. O sistema, que não foi bem estudado em crianças cujos cérebros ainda estão em crescimento, está sendo cada vez mais usado em centros pediátricos para controlar convulsões.

“À medida que expandimos o uso do RNS para crianças, é fundamental considerar como determinar o limite inferior de idade”, disse o autor principal Yasunori Nagahama, professor assistente de neurocirurgia e diretor de cirurgia de epilepsia pediátrica da Rutgers Robert Wood Johnson Medical School. “Considerando que este procedimento envolve a remoção de uma parte do crânio para implantar o dispositivo, os benefícios e potenciais danos com base no desenvolvimento variável do crânio em pacientes individuais devem ser considerados. As crianças experimentam um crescimento rápido do crânio nos primeiros dois anos e atingem cerca de 90 por cento de volume do crânio adulto por volta dos 8 anos de idade. Neste estudo, havia dois pacientes com menos de 7 anos no momento do implante de RNS, incluindo um de 3 anos de idade, que era o paciente mais jovem relatado a ser submetido a implante de RNS. “

Os pesquisadores analisaram 35 crianças e jovens adultos de 3 a 25 anos com epilepsia resistente a medicamentos que foram tratados com RNS. Eles descobriram que 84 por cento tiveram uma redução nas convulsões incapacitantes, incluindo 18 por cento que tiveram uma redução de mais de 90 por cento.

“As descobertas sugerem que a neuroestimulação responsiva é um tratamento cirúrgico eficaz da epilepsia resistente a medicamentos em pacientes pediátricos cuidadosamente selecionados”, disse Nagahama. “No entanto, mais pesquisas sobre eficácia e segurança em longo prazo são necessárias para determinar quais pacientes se beneficiarão mais”.

Fonte :Rutgers University .