Siga nossas redes sociais

Ciência

Cirurgião de Cabeça e Pescoço alerta para cuidados com a tireoide

Published

on

foto reprodução internet
Compartilhe


Câncer na tireoide é o quinto mais comum entre mulheres, porém, quando um homem tem nódulo de tireoide, as chances deste nódulo ser maligno são maiores


A tireoide é uma glândula de cerca de 20 gramas em forma de borboleta com as asas abertas, localizada na parte inferior do pescoço, ao lado da traqueia e quase colada à artéria carótida. Dr. Murilo Neves da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço — SBCCP, professor afiliado da UNIFESP, explica que a Tireoide tem um poder desproporcional a seu tamanho — ela é importantíssima para o funcionamento harmônico do organismo.


Dados da SBCCP indicam que o câncer na tireoide é o quinto mais comum entre mulheres e deve se tornar o terceiro mais incidente até 2030, atrás apenas de tumores de mamas e de ovários. Embora menos comum em homens, pode sim ocorrer e as chances de o nódulo ser maligno são maiores.


Murilo Neves explica que a vigilância ativa e exames periódicos são primordiais para prevenção, “nos estágios iniciais o câncer é altamente tratável e apresenta boa taxa de cura. Já nos estágios mais avançados, o tratamento torna-se muito complexo dificultando muito a resolução da doença”, explica.


A seguir o médico esclarece as principais dúvidas sobre o tema.


O que é hipotireoidismo?


O hipotireoidismo é a diminuição da função da tireoide, ou seja, a diminuição da produção de seus hormônios, que são o T3 e o T4, e o aumento do TSH, que é um hormônio produzido pela hipófise, que controla a função da tireoide e estimula ou inibe a produção do T3 e do T4. “Quando se fala em hipotireoidismo subclínico, este é o primeiro sinal de que alguma coisa não vai bem com a tireoide. O hipotireoidismo subclínico é o aumento do TSH sem a diminuição do T3 e do T4. Esta condição pode se manter por um período longo de tempo sem que a pessoa tenha sintomas.” Explica.


Como podemos colaborar para a saúde da tireoide?


Hábitos de vida saudáveis e boa alimentação são fundamentais para que os problemas de tireoide sejam evitados. “Por exemplo, o nosso sal é iodado e, infelizmente, o Brasil é um dos países que mais consome sal no mundo, então uma das recomendações seria não ingerir sal em exagero”, conta o especialista.


Além disso, alguns estudos têm demonstrado a importância do selênio para a saúde da tireoide. Uma fonte natural dessa substância é a castanha-do-pará. Recomenda-se a ingestão de uma unidade diariamente. No entanto, ao suspeitar de algum problema de tireoide, procure o seu médico e realize os exames necessários.

 
Com que frequência devem ser realizados exames de tireoide?


O diagnóstico de doenças de tireoide é sempre muito fácil e simples. Ele é feito através das dosagens no sangue dos hormônios de tireoide: T3, T4 e TSH e da ultrassonografia de tireoide. São exames simples, baratos e de fácil realização. Normalmente os exames de ultrassom são pedidos quando há suspeita de algum nódulo ou casos na família. Já os exames de sangue podem ser pedidos durante consultas de rotina e realizações de check-up.


Os exames de sangue são importantes porque eles já podem identificar alguma alteração mínima da tireoide, sem caracterizar o hipotireoidismo. Isso permite identificar e tratar uma alteração de tireoide antes mesmo que ela tenha se manifestado.


Qual o procedimento ao se descobrir um nódulo maligno na tireoide?


Dr. Murilo Neves explica que o aumento da incidência de nódulos malignos de tireoide é um fenômeno que vêm ocorrendo no mundo todo. “O importante, como sempre, é que se faça um diagnóstico precoce desses tumores para que o tratamento seja o menos agressivo possível.” Reforça o médico.


Como em todos os tipos de tumores malignos, quanto mais cedo você descobre, mais simples, mais rápido e mais eficaz é esse tratamento. “Aqui no Brasil nós temos uma facilidade muito grande para a realização de exames diagnósticos.A ultrassonografia é um exame muito fácil de ser realizado e se ele demonstrar a presença de um nódulo, que tenha características que mereçam uma investigação, a punção aspirativa deverá ser realizada. Esse também é um exame muito simples e que vai orientar o médico sobre qual é a melhor forma de tratamento para esse paciente.” Explica.


“É importante ressaltar que não são todos os nódulos que merecem ser puncionados, mas sim aqueles que apresentem algumas características importantes e que mereçam uma investigação mais detalhada.” Completa Dr. Murilo Neves.

Dr. Murilo Neves

Especialidades: Cirurgia de Cabeça e Pescoço
Formação: Medicina pela Universidade de São Paulo – USP
Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital das Clinicas Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP
Residência médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP
Título de especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço – SBCCP
Pós-graduando em Doutorado pelo Departamento de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Universidade Federal de São Paulo — UNIFESP

UPDATE COMUNICAÇÃO

Michelly Souza — michelly@updatecomunicacao.com.br

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.