Siga nossas redes sociais

Ciência

Cientistas podem ter descoberto a origem da esquizofrenia no cérebro

Published

on

Imagem: Shutterstock
Compartilhe

Um estudo liderado por pesquisadores da Faculdade de Letras, Artes e Ciências da USC Dornsife e publicado on-line na última quinta-feira (10) na Nature Communications descobriu que as mutações que inibem a proteína 97 associada à sinapse, ou SAP97, podem dar origem à esquizofrenia.

De acordo com o artigo, os cientistas estavam em um processo de resolver um mistério de décadas sobre uma determinada proteína e acabaram identificando um local específico no cérebro onde a esquizofrenia pode se originar.

“A função reduzida do SAP97 pode muito bem dar origem ao maior aumento no risco de esquizofrenia em humanos que conhecemos, mas a função do SAP97 tem sido um mistério total por décadas. Nosso estudo revela onde o SAP97 funciona no cérebro e mostra exatamente o que as mutações associadas à esquizofrenia nessa proteína fazem com os neurônios”, disse Bruce Herring, professor assistente de ciências biológicas da USC Dornsife e principal autor do estudo.

E agora?

Depois da descoberta, qual o próximo passo? Segundo Herring, ele e sua equipe planejam, em estudos futuros, procurar atividade SAP97 em outras áreas do cérebro. O grupo também busca determinar se mutações ligadas à esquizofrenia em outras proteínas produzem o mesmo aumento na sinalização glutamatérgica no giro denteado.

Dados robustos ligam abuso de maconha a casos de esquizofrenia

Dados robustos de um novo estudo ligaram o abuso de maconha à incidência de doenças mentais, como a esquizofrenia. Um desses estudos foi realizado na Dinamarca e os pesquisadores analisaram os registros de saúde de mais de 7,2 milhões de pessoas e identificou uma correlação entre o uso indiscriminado de maconha e o desenvolvimento de esquizofrenia.

Os pesquisadores, porém, ponderam que a ligação entre o consumo da droga e condições neurológicas, como a esquizofrenia, se dá quando existe o transtorno por uso de cannabis, que é definido como uma forte dependência de maconha. Este tipo de transtorno se dá quando a dependência é tão grande que afeta outros aspectos da vida da pessoa, como o trabalho.

Fonte:Olhar Digital