Siga nossas redes sociais

Missões

No dia Internacional da Oração, ore pelos cristãos perseguidos

Published

on

Bae e o marido foram condenados a passar o resto da vida em uma vila de trabalhos forçados. Ela não perdeu a fé e continua louvando a Deus. Ore por eles. (imagem ilustrativa) Crédito: Portas Abertas
Compartilhe

Desde 1968, primeira sexta-feira de março é comemorado o Dia Mundial da Oração. A data não é destinada para uma religião, mas como incentivo aos que usam a oração como forma de intercessão pelo bem

Celebrado em mais de 170 países, o principal objetivo da data é promover o aumento das obras missionárias, além de ajudar na troca de experiências entre cristãos e fiéis religiosos de todo o mundo.  

A intenção, hoje, é incentivar a igreja brasileira, livre da perseguição religiosa, a orar pelos cristãos norte-coreanos. Durante duas décadas, de 2002 a 2021, a Coreia do Norte foi o país mais perigoso para os cristãos, ocupando o primeiro lugar na Lista Mundial da Perseguição, que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos.  

Apesar de ter caído uma posição na Lista Mundial da Perseguição 2022, a situação dos cristãos não melhorou no país. Na Coreia do Norte, caso a fé em Jesus seja descoberta, há risco imediato de prisão, tortura e morte. No país comunista tudo é determinado pelo líder Kim Jong-un; as autoridades ditam onde os cidadãos vão morar, em que vão trabalhar, o que podem comer, e até no que devem pensar.   

A vida dos seguidores de Jesus na Coreia do Norte é uma pressão constante. Não é possível confiar em vizinhos e familiares, pois qualquer pessoa pode denunciar a fé em Jesus para as autoridades.  

Punida por ser cristã 

A norte-coreana Bae (pseudônimo) foi enviada para uma vila junto com o marido, depois que eles foram descobertos com uma Bíblia.  Depois que as autoridades descobriram que eles eram cristãos, a vida do casal mudou de forma drástica.  

As autoridades colocaram o casal cristão na “categoria hostil”, que significa que eles estão no degrau mais baixo quando se trata da ajuda do governo, atribuições de trabalho ou qualquer outra assistência oficial.  

O casal foi levado para uma vila remota e são obrigados a fazer trabalho agrícola árduo. Além disso, sabem que viverão nesse lugar até morrer. Apesar de tudo, Bae glorifica ao Senhor “Eu quero dedicar minha vida até a morte para glorificá-lo”. Eles só recebem a alimentação suficiente para não morrerem, mas permanecem com fome.  

Além da oração

A Portas Abertas mantém parceiros locais por meio de redes secretas na China para fortalecer cristãos norte-coreanos como Bae. Uma doação garante ajuda emergencial como alimentos, remédios e roupas. Através de orações e doações de cristãos brasileiros e no mundo todo, muitos cristãos perseguidos na Coreia do Norte recebem abrigo, treinamento e materiais cristãos. 

Fonte: Portas Abertas