Siga nossas redes sociais

Destaques

Encenação da Paixão de Cristo com dança sensual gera polêmica em Belo Horizonte

Published

on

Cena da apresentação da Paixão de Cristo na paróquia São José/ Reprodução
Compartilhe

Um trecho da apresentação da Paixão de Cristo realizada no dia 11 de abril no santuário arquidiocesano São José, em Belo Horizonte (MG), causou revolta entre os fiéis. Em vídeos divulgados nas redes sociais, é possível ver na encenação um homem vestido com roupas de dança do ventre subindo no altar com uma cobra viva e dançando de forma sensual.

O grupo Nova Arte Jovem, responsável pela peça, atua há mais de 20 anos na arquidiocese encenando diversas passagens bíblicas na Igreja local. Neste ano, chegaram a se apresentar nas paróquias Nossa Senhora das Dores e Boa Viagem com a peça “As 7 Dores de Maria”. 

Depois da reclamação dos fiéis nas redes sociais, o santuário São José soltou uma nota afirmando que não teve acesso prévio ao roteiro da peça apresentada na nave do templo. Segundo a paróquia, as cenas foram acrescentadas sem o conhecimento dos padres redentoristas, que administram a igreja.

A arquidiocese de Belo Horizonte também divulgou uma nota repudiando a apresentação: “a Cúria Metropolitana de Belo Horizonte manifesta a sua desaprovação em relação à cena do Teatro da Paixão de Cristo apresentada no santuário arquidiocesano São José. Trata-se de inadmissível uso inadequado da Igreja e de seu presbitério, desviando a atenção do povo de Deus do mistério celebrado na Semana Santa: a paixão, morte e ressurreição de Jesus”.

Um trecho da apresentação da Paixão de Cristo realizada no dia 11 de abril no santuário arquidiocesano São José, em Belo Horizonte (MG), causou revolta entre os fiéis. Em vídeos divulgados nas redes sociais, é possível ver na encenação um homem vestido com roupas de dança do ventre subindo no altar com uma cobra viva e dançando de forma sensual.

O grupo Nova Arte Jovem, responsável pela peça, atua há mais de 20 anos na arquidiocese encenando diversas passagens bíblicas na Igreja local. Neste ano, chegaram a se apresentar nas paróquias Nossa Senhora das Dores e Boa Viagem com a peça “As 7 Dores de Maria”. 

Depois da reclamação dos fiéis nas redes sociais, o santuário São José soltou uma nota afirmando que não teve acesso prévio ao roteiro da peça apresentada na nave do templo. Segundo a paróquia, as cenas foram acrescentadas sem o conhecimento dos padres redentoristas, que administram a igreja.

A arquidiocese de Belo Horizonte também divulgou uma nota repudiando a apresentação: “a Cúria Metropolitana de Belo Horizonte manifesta a sua desaprovação em relação à cena do Teatro da Paixão de Cristo apresentada no santuário arquidiocesano São José. Trata-se de inadmissível uso inadequado da Igreja e de seu presbitério, desviando a atenção do povo de Deus do mistério celebrado na Semana Santa: a paixão, morte e ressurreição de Jesus”.

Um trecho da apresentação da Paixão de Cristo realizada no dia 11 de abril no santuário arquidiocesano São José, em Belo Horizonte (MG), causou revolta entre os fiéis. Em vídeos divulgados nas redes sociais, é possível ver na encenação um homem vestido com roupas de dança do ventre subindo no altar com uma cobra viva e dançando de forma sensual.

O grupo Nova Arte Jovem, responsável pela peça, atua há mais de 20 anos na arquidiocese encenando diversas passagens bíblicas na Igreja local. Neste ano, chegaram a se apresentar nas paróquias Nossa Senhora das Dores e Boa Viagem com a peça “As 7 Dores de Maria”. 

Depois da reclamação dos fiéis nas redes sociais, o santuário São José soltou uma nota afirmando que não teve acesso prévio ao roteiro da peça apresentada na nave do templo. Segundo a paróquia, as cenas foram acrescentadas sem o conhecimento dos padres redentoristas, que administram a igreja.

Fonte:https://www.acidigital.com/

.