Siga nossas redes sociais

Destaques

Pastor é condenado à prisão por homofobia; pena foi revertida para serviços comunitários e multa

Published

on

Compartilhe

O pastor José Olímpio da Silva Filho, da igreja Assembleia de Deus em Alagoas, foi condenado por homofobia nesta quarta-feira (27) pela 14ª Vara Criminal de Maceió por ter feitos comentários contra o ator Paulo Gustavo.

Em 2021, o religioso desejou publicamente que o ator Paulo Gustavo morresse. Na época, o artista estava internado com Covid-19.  “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”, escreveu o pastor nas redes sociais. 

 A postagem trazia trecho do filme “Minha Vida em Marte” onde o ator participava de um casamento e dizia que Jesus, se estivesse vivo, estaria no show do Pablo Vittar. 

“Padre, casa eu e meu marido?”, pergunta o humorista. “Não pode”, responde o ator que interpreta o padre. “Porque que não pode?”, insiste Paulo Gustavo. “Está escrito”, reitera o ator. “Mas quem escreveu? Quem escreveu essa Bíblia está desatualizado. Se Deus fosse vivo… Se Jesus Cristo fosse vivo hoje, tava no show do Pabllo Vittar”, afirma o ator.

A decisão do juiz Ygor Figueiredo foi pena de dois anos e nove meses prisão que foram revertidas por duas penas restritivas: prestar serviço à comunidade pelo tempo da pena, durante seis horas semanais e pagará 30 salários-mínimos para uma ONG LGBTQ+ de Alagoas.

Redação Exibir Gospel