Siga nossas redes sociais

Ciência

Pesquisa diz que brasileiros passam 40 anos de suas vidas na internet

Published

on

Compartilhe

Um estudo desenvolvido pela NordVPN mostrou que cada vez mais os brasileiros estão gastando tempo na internet. São 41 anos, 3 meses e 3 dias conectados.

Se, comparado com a expectativa de vida da população brasileira que é de 76,6 anos, o brasileiro pode passar 57% da sua vida online.

Segundo a pesquisa, semanalmente os brasileiros passam de 91 horas utilizando a internet, totalizando quase quatro dias. Essa divisão de tarefas realizadas por meio online consiste em demandas profissionais ou de entretenimento, sendo que 19 horas semanais são gastas trabalhando e as outras 72 horas para a realização de outros tipos de atividades.

De acordo com a companhia de cibersegurança,  o serviço streaming é a ferramenta em que mais prende a atenção dos brasileiros, que passam 13 horas semanais se entretendo com os mais diversos filmes e séries.

Já plataformas de vídeos como o Youtube consomem pelo menos meio dia dos brasileiros.Pouco mais de 11 horas são dedicadas às redes sociais, tais como Twitter, Facebook, Instagram e WhatsApp, e 6 horas e 13 minutos são gastos, no Brasil, em plataformas de áudio como Spotify e Deezer.

Por fim, fora das questões de trabalho e entretenimento, os brasileiros passam o seu tempo conectados também para se aperfeiçoar em alguma área. Durante 5 horas e 28 minutos, muitos estão em aulas online, palestras e tutoriais.

Quais são as consequências da vida conectada?

O uso excessivo e acelerado é uma preocupação de muitos especialistas, como é o caso do psicólogo Michael Zanchet. De acordo com o profissional do Centro Contemporâneo de Saúde e Bem-Estar, o consumo desenfreado pode trazer transtornos às pessoas.

“A tecnologia automatizou a vida, a tornou mais ágil, mas muitas pessoas se tornaram escravas e isso tem gerado um nível de ansiedade maior em decorrência do cérebro muitas vezes não ter pausas e não conseguir suportar o número de informações processadas e não processadas, e consequentemente não reter as informações”, disse o psicólogo.

O profissional se atenta para possíveis transtornos mentais como uma das consequências do uso excessivo de aparelhos eletrônicos, como alterações no humor, irritabilidade e dificuldade de raciocínio, e sugere um equilíbrio no estilo de vida dos brasileiros, em prol de um bem-estar melhor.

“Equilíbrio é o melhor caminho. É importante usarmos a tecnologia a nosso favor, termos equilíbrio e nos desenvolvermos constantemente entre seis domínios da nossa vida: físico e mental, família, vida afetiva, profissional, financeiro e espiritual. O equilíbrio nessas seis áreas é que vai nos dar maior ou menor bem-estar, inclusive porque muitas patologias se originam do afastamento de atividades básicas, como atividades físicas e contato pessoal”, conclui.

Fonte: Com informações de Assessoria psicólogo Michael Zanchet