Siga nossas redes sociais

Depoimentos

Mulher muçulmana enfrenta um assassinato de honra, depois encontra esperança em Cristo depois de uma voz audível do céu: ‘Jesus’

Published

on

Compartilhe

Crentes de origem muçulmana em Jesus Cristo estão contando testemunhos milagrosos de como encontraram a verdadeira esperança e salvação após anos de dor e busca sob o Islã.
 
Em uma série de testemunhos chamados “Souls & Stories” fornecidos à CBN News em parceria com  IFoundtheTruth.com , eles estão explicando como Cristo se deu a conhecer a eles de maneiras sobrenaturais.

Aisha nasceu em Amã, Jordânia, em uma família islâmica estrita. Seu pai abusou dela verbalmente e disse coisas que nunca deveriam ser ditas a uma filha, mas sua religião não foi uma fonte de paz para ela durante aqueles anos dolorosos. Em vez disso, ela sentiu constante condenação do Islã.

Quando Aisha e sua família se mudaram para os Estados Unidos, ela estava desesperada para ser amada e engravidou aos 17 anos. Ela sabia que seu pai era obrigado pela cultura islâmica a matá-la por desonrar sua família. Temendo por sua vida, ela decidiu fazer um aborto – uma vergonha que ela carregou por muitos anos. 

No Islã, “seus pecados eram imperdoáveis”, e ela foi ensinada que era “odiada por Alá”. Sofrendo de depressão e pensamentos suicidas, ela buscou incansavelmente por perdão e esperança. Um dia, enquanto ela clamava a Alá por misericórdia, foi quando ela ouviu uma voz audível dizer uma palavra: “Jesus”. 

Depois de ouvir aquela voz do céu, Aisha voltou suas orações para Jesus pedindo que Ele se revelasse a ela.

“Essa foi a primeira vez que senti qualquer sensação de paz, foi quando orei a Jesus”, explica ela.

Essa experiência sobrenatural deu-lhe uma fome insaciável pela verdade, e em Romanos 5:8 ela encontrou a verdade e o perdão que desejava desesperadamente. 

Depois de tantos anos sentindo o julgamento constante de Alá, Aisha finalmente descobriu que Jesus era cheio de misericórdia e compaixão pelas mulheres. 

Ela diz que o forte contraste entre a forma como a religião islâmica trata as mulheres em comparação com a forma como Jesus tratou as mulheres desempenhou um papel significativo em sua decisão de seguir a Cristo.

“Você viu Jesus andando até as mulheres com um elemento de ternura, e você sabe, a mulher no poço, a mulher que tinha um distúrbio hemorrágico, Jesus a chamou de ‘filha’, e isso foi enorme para mim ler porque no Islã as mulheres não são muito bem vistas”, diz Aisha.

Ela aponta que sob o Islã ela teve que implorar a Allah por misericórdia sem sentir que ela jamais a receberia, mas ela descobriu que Jesus é verdadeiramente misericordioso. “Em todas as escrituras você vê Jesus gravitar em torno dos pecadores e dos marginalizados”, diz ela. “Foi realmente interessante ver a ternura que Jesus tinha para com os pecadores e párias, enquanto no Islã haveria vergonha e condenação e morte literal em certas situações.” 

Anos depois, o pai de Aisha estava morrendo de alcoolismo quando ela se sentiu compelida pelo Espírito Santo a chamá-lo. 

Fonte: https://www1.cbn.com/cbnnews