Siga nossas redes sociais

Destaques

‘Tem que passar chapinha no seu cabelo’: jovem denuncia pastor da Igreja Universal por racismo

Published

on

Clara contou também que já tinha sido vítima deste mesmo pastor outras vezes - FOTO: Reprodução/Redes Sociais
Compartilhe

Ana Clara da Mota Santos fez um boletim de ocorrência contra o pastor Lázaro Augusto da Rosa

Uma jovem identificada por Ana Clara da Mota Santos fez um boletim de ocorrência contra o pastor Lázaro Augusto da Rosa.

Segundo informações do portal G1, a jovem, que é assistente de produção, afirmou ter sido vítima de injúria racial na Igreja Universal do Reino de Deus.

jovem prestou depoimento na delegacia no fim da tarde dessa segunda-feira (16). Ela estava acompanhada do advogado Cláudio Anderson dos Santos que também é pai da vítima.

Ana Clara trabalha como assistente de produção em programas de tv da Igreja Universal. Ela disse que o caso aconteceu durante uma gravação, no bairro de Lourdes, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

“Eu estava hoje fazendo meu trabalho, gravando uma programação com um pastor e ao questionar ele sobre um ponto, um brilho que estava no rosto, ele devolveu a resposta falando comigo: ‘tem que passar chapinha no seu cabelo’”, denunciou a jovem.

No depoimento, Clara contou também que já tinha sido vítima deste mesmo pastor outras vezes, mas que não denunciou antes por falta de provas.

Nas outras situações, ele também falava do cabelo dela. Agora, a jovem disse que tem como provar o crime. Uma gravação será entregue à polícia.

“Vai ser uma representação cível e criminal, tendo em vista que há uma omissão por parte dos superiores hierárquicos da Ana Clara quanto ao fato da punição e até mesmo quando, por ser um crime, deveria ter sido denunciado pelos próprios superiores, que preferiram a omissão, dizendo a ela que ela não seria punida, ou seja, a vítima passou a ser o réu. Não podemos ter essa inversão de valores”, disse o advogado.

O QUE DIZ A IGREJA?

Igreja Universal disse que “está apurando internamente os fatos do caso que, por sinal, não reflete a sua cultura inclusiva e de total respeito a todos. Quem frequenta qualquer culto da Universal, em qualquer país do mundo, comprova que bispos, pastores e fiéis são de todas as origens, etnias e tons de pele, de todas as classes sociais“.

CRIME DE INJÚRIA RACIAL

crime de injúria racial está previsto no código penal e se refere a situações que envolvem a honra de um indivíduo específico usando características como a raça, cor, etnia, religião ou origem, geralmente por meio do uso de palavras preconceituosas.

Fonte :https://tvjornal.ne10.uol.com.br/