Siga nossas redes sociais

Destaques

Líderes evangélicos apoiam igreja acusada de homofobia em Aracaju

Published

on

Compartilhe

Líderes religiosos da União dos Ministros Evangélicos de Sergipe participaram de uma reunião em apoio e solidariedade à Igreja Presbiteriana Família Renovada que foi acusada de homofobia ao não aceitar batizar um fiel homossexual.

O culto especial aconteceu na noite desta quarta-feira (18) e foi comunicado pelo pastor Jeter Josepetti Andrade, vice-presidente da denominação, através das redes sociais.

Pastor de igreja acusada de homofobia em Aracaju fala sobre o caso

“Dezenas de pastores de denominações de toda grande Aracaju, reunidos como uma só igreja e um só povo, se encontraram nesta manhã e experimentaram uma presença poderosa da parte de Deus”, disse ele.

Membros da Frente Parlamentar Evangélica, da União dos Ministros Evangélicos do Estado de Sergipe (Umese) e da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) também estiveram presentes.

“Finalizamos com os líderes no altar, de joelhos e rendidos a Deus, orando pelo Brasil, Sergipe e Aracaju, crendo que Ele tem um tempo novo e surpreendente para todos”, completa a nota.

Sobre o caso

O fotógrafo João Pedro Poderoso  relatou que no último domingo (15) ele esperava ser batizado, após fazer o curso preparatório, mas seu nome não foi chamado à frente, pelo contrário, ele foi levado para uma sala privada para conversar com o pastor.

“Os dois disseram que eu não poderia me batizar, porquê sou homossexual e casado com outro homem. A minha saída foi muito constrangedora e eu fiquei sem chão”, disse ele que é casado com um membro da igreja.

Em nota, a igreja declarou que o fiel não está apto, segundo a regra máxima da fé cristã, para ser batizado. “O candidato ao batismo, por não estar apto, segundo as normas internas e nossa regra máxima de fé e prática, a Bíblia Sagrada, não pôde participar do ato batismal. É de se ressaltar que a comunicação feita ao mesmo a respeito da impossibilidade de seu batismo se deu de modo reservado, em espaço privativo, na secretaria da igreja, sem publicização do mesmo, ou mesmo das razões do impedimento, com vistas a evitar qualquer tipo de constrangimento”, diz a nota.

Redação Exibir Gospel