Siga nossas redes sociais

Destaques

Pastor Daniel Nunes, que chamou fiéis de lixo, confessa que cometeu adultério e é disciplinado

Published

on

Compartilhe

Nos próximos 12 meses o pastor Daniel Nunes, ex-presidente da Igreja Assembleia de Deus em Campina Grande (PB), não poderá pregar, tomar Santa Ceia e nem realizar nenhuma atividade eclesiástica.

Ele está em disciplina por ter cometido adultério, este foi o real motivo para que ele deixasse a presidência da igreja e também da convenção da cidade.

Com 40 anos de ministério, o pastor se despediu da igreja que liderou por dez anos e aproveitou para se desculpar pelo que fez. “Nesta noite eu vim confessar aos meus irmãos que eu pequei, pequei contra os céus e contra  a nossa igreja. Ouvindo, vendo, enviando e recebendo mensagens que desagradaram os olhos de Deus e praticando atos que desabonam a conduta de um cristão”, declarou.

A renúncia de um dos nomes mais importantes da AD no Nordeste do país pegou os fiéis de surpresa, pois o pastor Daniel Nunes é muito respeitado e admirado na região. No começo, acreditava-se que a decisão dele estava relacionada à polêmica causada por ele ter chamado de “lixo” e “trastes” as pessoas que saíram da igreja.

Mas durante o culto de despedida que aconteceu na noite desta segunda-feira (30), o real motivo da saída do pastor foi revelado e agora ele seguirá em disciplina.

Ouça:

Redação Exibir Gospel