Siga nossas redes sociais

Destaques

Pastor é condenado a 18 anos de prisão por incitar crimes contra judeus

Published

on

foto reprodução
Compartilhe

Um líder religioso foi condenado na última quinta-feira (30) a 18  de prisão por crimes que envolvem discurso de ódio contra judeus.

O pastor Tupirani Hora Lopes é líder de uma seita chamada Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo e é conhecido por promover discurso de ódio contra judeus, sendo preso e processado outras vezes.

A Polícia Federal estava investigando o religioso através da Operação Rofésh e a prisão aconteceu em fevereiro deste ano. Segundo informações do  Ministério Público Federal (MPF), o pastor era famoso entre os fiéis por pregar e espalhar palavras e discursos de ódio contra pessoas com descendência judaica.

Em março do ano passado ele já havia passado por investigações pelos mesmos crimes. Além de ataque a judeus, Tupirani também incentivava ataques contra pessoas de quaisquer outras religiões.

Tupirani falava, por exemplo, que Deus deveria machucar pessoas judias. Consequentemente, ele falava que queria que o grupo religioso sofresse e que também fossem humilhados dentro da sociedade como castigo.

O religioso foi o primeiro brasileiro a ser preso por intolerância religiosa, isso em 2009, quatro anos depois ele voltou a ser preso, dessa vez com algumas seguidores, por  racismo, homofobia e xenofobia.

Com sede na cidade do Rio de Janeiro, a igreja frequentemente distribui cartazes pela cidade com palavras que dizem “Bíblia sim, Constituição não”.

Redação Exibir / Leiliane Lopes