Siga nossas redes sociais

Destaques

Pastor é denunciado por associar orixás à violência armada em videoclipe

Published

on

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Compartilhe

O pastor Irmão Júlio, com centenas de milhares de seguidores nas redes sociais Kwai e TikTok, será investigado pelo Ministério Público da Bahia, por críticas à orixás e por simular conforto armado.

A música “Pra Trás da Cruz” ganhou um clipe que causou polêmica e representantes de religiões de matriz africana resolveram denunciar o cantor evangélico.

Tudo isso porque o clipe simula uma guerra de tráfico e violência armada em uma comunidade da capital baiana. A letra traz rimas com nomes de bairros de Salvador e cita orixás.

Em um trecho da música ouvimos: “Dizem que a Bahia é de todos os santos, mas não é verdade, ela é do Espírito Santo”; “Não tem Oxumaré e nem Exu Caveira, meu Deus manda em São Tomé e também lá na Engomadeira. Pra trás da cruz, eu profetizo que a Bahia é de Jesus”.

Pelas redes sociais o pastor pediu desculpas e deu entrevista nesta sexta-feira (15) para uma retransmissora do SBT para falar do caso.

O clipe foi retirado do Youtube e das demais redes sociais. “A minha intenção foi só pregar a palavra e levar a palavra de Jesus Cristo”, se defendeu o Irmão Júlio.

Redação Exibir / Leiliane Lopes