Siga nossas redes sociais
23/02/2024

Destaques

A principal rede social utilizada por crianças e adolescentes no Brasil é o TikTok

Published

on

Compartilhe

Cerca de 34% dos usuários de internet entre 9 e 17 anos utilizam o TikTok, uma rede social de vídeos que se tornou febre em todo o mundo.

Os dados são da pesquisa TIC Kids Online Brasil publicada nesta terça-feira (16) apontando que a plataforma chinesa se tornou a principal rede social utilizada por crianças e adolescentes no Brasil.

O levantamento foi realizado pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) com 2.651 crianças e adolescentes ao lado de seus pais ou responsáveis, entre outubro de 2021 e março de 2022.

Segundo a pesquisa, 93% das crianças e dos adolescentes no Brasil usam a internet, desses, 78% acessam redes sociais. O WhatsApp e Instagram são as redes sociais em que mais usuários têm perfis.

Os dados não são positivos

O TikTok é uma rede social sem regras rígidas. Os pequenos passam a ter acesso fácil a conteúdo malicioso, pornográfico e a desafios de mal gosto que já levou várias crianças à morte.

Recentemente uma família britânica virou assunto mundial ao brigar na justiça para manter seu filho vivo. Archie Battersbee, 12 anos, ficou em coma por quatro meses após aceitar um desafio da rede social. Ele faleceu quando a Justiça autorizou desligar os aparelhos que o mantinham vivo.

Em Los Angeles (EUA) uma outra família briga na Justiça, dessa vez eles processam o TikTok pela morte de suas duas filhas que aceitaram fazer um desafio proposto por usuários da rede e não resistiram.

A ação alega que o aplicativo sabia ou deveria saber sobre o envio de conteúdo nocivo para crianças.

Pastores já alertaram sobre os perigos do TikTok

Crianças não deveriam ter acesso às redes sociais sem permissão de seus pais e muitos pastores há anos alertam sobre os riscos dessas plataformas.

Em 2021, o pastor Antônio Júnior gravou um vídeo dizendo para que os cristãos não utilizem o TikTok. Segundo ele, o aviso não é apenas para crianças e adolescentes, mas também para adultos.

Redação Exibir /Leiliane Lopes