Siga nossas redes sociais
25/02/2024

Destaques

Após expulsar freiras, governo Ortega invade igrejas e fecha rádios católicas na Nicarágua

Published

on

Polícia da Nicarágua invade igreja para apreender equipamentos de rádio (Foto: Reprodução/Twitter)
Compartilhe

Padre precisou se trancar em templo para impedir destruição de rádio

Depois de perseguir e censurar a imprensa tradicional, a Nicarágua agora investe contra as rádios católicas em uma campanha contra a presença da própria Igreja no país.

No mês passado, imagens da expulsão de freiras da Associação Missionárias da Caridade, ordem fundada por Madre Teresa de Calcutá, chocaram o mundo com as religiosas sendo escoltadas pela polícia para deixarem o país a pé.

Ignorando a repercussão do caso, autoridades nicaraguenses fecharam nesta semana veículos de comunicação associados à Igreja Católica e invadiram templos religiosos para apreender equipamentos de radiodifusão

Padre se tranca em igreja na Nicarágua

O Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh) denunciou as ações da polícia da Nicarágua contra a Igreja e rádios católicas nas redes sociais.

Na segunda-feira (1º), forças de segurança invadiram a capela Menino Jesus de Praga e a igreja da Divina Misericórdia, ambas localizadas na cidade de Sébaco, em Matagalpa, região norte do país.

Na capela, funciona a Rádio Católica de Sébaco, uma das sete estações da Diocese de Matagalpa. Horas antes da invasão, todas essas rádios foram fechadas pelo Instituto Nicaraguense de Telecomunicações e Correios (Telcor), sob a alegação de que os veículos não tinham licença para funcionar.

As emissoras atingidas são a Rádio Hermanos, Rádio Santa Lucía de Ciudad Darío, Rádio Católica de Sébaco, Rádio Estrangeiros de San Dionísio, Rádio San José de Matiguas, Rádio Monte Carmelo de Río Blanco e Rádio Nuestra Señora de Lourdes em La Dalia.

Em nota, o Cenidh rebateu os argumentos das autoridades, informando que os documentos necessários foram apresentados em 2016 pelo monsenhor Rolando Álvarez, responsável pela diocese e pelos veículos.

Fonte:https://mediatalks.uol.com.br/2022/