Siga nossas redes sociais
18/05/2024

Ciência

Biotecnologia: Pesquisador alemão planeja gerar bebês em úteros artificiais

Published

on

Compartilhe

O projeto de um biotecnólogo visa criar uma espécie de fábrica de bebês fora do útero. Os pais interessados nessa tecnologia, poderiam escolher todas as características de seus futuros filhos.

Com o nome de EctoLife, o projeto do alemão Hashem Al-Ghaili chamou a atenção da imprensa internacional, pois promete produzir até 30 mil bebês por ano dentro de úteros artificiais.

Os genes seriam totalmente editados para que os pais pudessem escolher sexo, cabelos, olhos, pele entre outras caracterísitcas. O problema disso são as restrições éticas da Medicina que impedem o projeto de avançar.

Al-Ghaili diz que seu projeto está baseado em anos de pesquisa, mas seus colegas declaram que é impossível que a tecnologia consiga substituir o útero feminino para que o embrião consiga se desenvolver.

“Para que uma gravidez ocorra, é preciso um útero para que o embrião se desenvolva, têm as trocas de sangue da mãe com o bebê e todo processo genético de formação do bebê, metilação de genes que ocorre durante a gravidez”, comentou o médico geneticista pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Caio Graco Bruzaca.

Para o especialista brasileiro, o conceito alemão é improvável até mesmo pensando em um cenário de dez anos. “Em ficção científica, pode até ser que exista uma tendência para que esse fenômeno ocorra”.

Assista:

Redação / Exibir por Leiliane Lopes