Siga nossas redes sociais
19/04/2024

Entretenimento

De prostituta a santa,de discípula a apóstola: biografia expõe a verdadeira história de Maria Madalena

Published

on

Compartilhe

Na obra Maria Madalena , Rodrigo Silva se aprofunda na história de uma seguidoras mais marcantes e injustiçadas de Jesus e revela elementos deo cristianismo que foram omitidos e ignorados por séculos .

Rodrigo Silva, teólogo e arqueólogo, lança a biografia Maria Madalena: a verdadeira história pela Editora Planeta.

Na obra, por meio da teologia e da arqueologia, o autor resgata a verdade sobre Maria Madalena. O arqueólogo se aprofunda na história desta enigmática figura bíblica utilizando textos gregos do Novo Testamento e fontes aramaicas e hebraicas. Ele propõe separar a imagem histórica da figura lendária criada pelo imaginário popular ao decorrer dos séculos. O livro conta com um caderno de imagem que reúne fotos de sítios arqueológicos, quadros e relíquias ancestrais.
 

Para fundamentar a obra, Rodrigo visa em uma biografia que tenha cunho acadêmico. Para isso, baseia-se na vertente intitulada de psicobiografia – área de estudos que aplica teorias psicológicas e ferramentas de pesquisa à investigação das razões emocionais ou psicológicas que estariam em ação na vida de uma figura importante histórico –, esta linha de pensamento possibilitou ao teólogo reconstruir a infância, os traumas e os desafios que Maria Madalena enfrentou de forma nunca vista.
 

O livro é dividido em duas partes, sendo uma focada nas imagens lendárias de Maria – a do evangelho e a da tradição – e a outra a biografia propriamente dita. Nesta segunda metade, Rodrigo desconstrói ideias populares que rondam a figura histórica e apresenta descobertas estarrecedoras que fogem da sistematização esperada, como os fortes indícios de que Madalena tenha sido vítima de abuso sexual na infância cometido por algum membro da própria família.
 

O teólogo desromantiza a relação de Maria Madalena e Jesus e expõe que a conexão que possuíam era puramente espiritual. A associação romântica era difundida, pois existia relutância em reconhecê-la como discípula em pé de igualdade com os homens que seguiam Jesus. A resistência era tanta que foi apenas em 2016, quase dois mil anos depois, que o Papa Francisco canonizou e a tornou, finalmente, santa. Rodrigo especula que a demora se deu por questões de misoginia ou pelo medo latente eclesiástico de que mulheres descobrissem sua força através de Maria e reivindicassem a devia relevância na hierarquia da Igreja.
 

Muitas alusões foram feitas a santa e omitiram importantes elementos do contexto que viveu, abrindo espaço para o surgimento de teorias conspiratórias e suspeitas desnecessárias, bem como discursos conservadores que, até hoje, ignoram a função que teve como líder, discípula e a primeira testemunha ocular da ressurreição de Cristo. “A imagem histórica de Maria, que muitos julgavam ser perigosa para a igreja, na verdade se revela desconfortável para todos os segmentos, seculares ou eclesiásticos… Sua figura ingênua simples desperta em outras “Marias” – assim como em “Joões” – a esperança de poder ser um verdadeiro discípulo de Cristo.”, afirmou Rodrigo Silva.

FICHA TÉCNICA 

Título: Maria Madalena

Autor: Rodrigo Silva

ISBN: 978-85-422-2628-7

320 páginas 

R$74.90

Editora Planeta 

SOBRE O AUTOR 

Rodrigo Silva é formado em Teologia, Filosofia e especialista em Arqueologia Bíblica. De vasto currículo acadêmico, viajou para Israel mais de quarenta vezes, para estudos e ensinos arqueológicos. Atualmente, é professor de Teologia e Arqueologia Bíblica do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), no Campus Engenheiro Coelho. Além disso, também atua como diretor do MAB – Museu de Arqueologia Bíblica, sediado na UNASP, e ainda como apresentador do programa semanal Evidências, transmitido pela TV Novo Tempo.

SOBRE A EDITORA

Fundado há 70 anos em Barcelona, o Grupo Planeta é um dos maiores conglomerados editoriais do mundo, além de uma das maiores corporações de comunicação e educação do cenário global. A Editora Planeta, criada em 2003, é o braço brasileiro do Grupo Planeta. Com mais de 1.500 livros publicados, a Planeta Brasil conta com nove selos editoriais, que abrangem o melhor dos gêneros de ficção e não ficção: Planeta, Crítica, Tusquets, Paidós, Planeta Minotauro, Planeta Estratégia, Outro Planeta, Academia e Essência.