Siga nossas redes sociais
18/05/2024

Destaques

EUA: Escolas de Utah proíbem a Bíblia por considerá-la “pornográfica”

Published

on

Compartilhe

Várias escolas de um distrito escolar em Utah, nos Estados Unidos, proibiram a presença da Bíblia em suas dependências. A decisão foi tomada após um pai de aluno denunciar o livro sagrado como sendo “pornográfico”, baseado em uma polêmica lei estadual que permite a retirada de livros considerados inadequados para os estudantes.

De acordo com o jornal The Salt Lake Tribune, o pai argumentou que a Bíblia contém passagens sobre incesto, estupro e prostituição, considerando-a essencialmente “pornográfica” com base na lei estadual aprovada em 2022. Essa lei tem sido predominantemente utilizada por grupos conservadores para censurar obras com temáticas raciais ou LGBT.

A reclamação referente ao distrito escolar de Davis foi apresentada em dezembro do ano passado e passou por um longo processo de análise. Na semana atual, um comitê dedicado ao assunto decidiu remover a Bíblia de sete ou oito escolas de ensino fundamental I e II, enquanto as escolas de ensino médio poderão mantê-la.

Surpreendentemente, o legislador republicano responsável pela lei que restringe o acesso a livros “indecentes”, Ken Ivory, inicialmente criticou a rotulação da Bíblia como “pornográfica”, chamando-a de “piada” e deturpação política. No entanto, ele voltou atrás em sua posição ao saber da decisão do comitê e até parabenizou a proibição do texto religioso nas salas de aula e bibliotecas das crianças mais novas.

Em uma publicação no Facebook, Ivory descreveu a Bíblia como uma “leitura complicada” para os alunos mais jovens e afirmou que, tradicionalmente nos Estados Unidos, ela é melhor ensinada e compreendida em casa, ao redor da lareira, como uma atividade familiar.

A ação judicial foi movida pelos pais devido à frustração com a remoção de livros das escolas devido a queixas conservadoras. Essa tendência foi observada em abril por importantes grupos de liberdade de expressão nos Estados Unidos, como a American Library Association (ALA) e a organização de escritores PEN America, conforme relatado pelo The Salt Lake Tribune.

Exibir Gospel/ Leiliane Lopes