Siga nossas redes sociais
22/02/2024

Destaques

Evangélicos têm mais oportunidades no mercado de trabalho, diz pesquisa brasileira

Published

on

foto reprodução internet
Compartilhe

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), os evangélicos possuem mais oportunidades no mercado de trabalho se comparado aos seguidores de outras religiões.

O estudo chamado de “Religião e empregabilidade – a força dos laços fracos e fortes em grupos religiosos pentecostais” traz informações relevantes sobre a questão do emprego no Brasil. (Leia aqui)

A pesquisa aponta que  pretos ou pardos tinham menos chances de conseguir rendimentos do trabalho do que os que se declararam brancos e que as mulheres têm mais desvantagens que os homens.

Mas quando a pessoa se declara evangélica, mesmo sendo desses grupos desfavorecidos, ela consegue ter mais oportunidades.

“Percebemos que as camadas mais pobres da população e pessoas pretas e pardas que são evangélicas conseguem, por meio de suas filiações religiosas e dos engajamentos em suas igrejas, moderar as desvantagens no mercado de trabalho”, explica Silvio Salej, do Departamento de Sociologia da UFMG.

O professor entende que este resultado positivo para os evangélicos “mostra que  o vínculo com a comunidade de fé está criando um mecanismo que propicia ganhos e oportunidades para essas pessoas”.

Mudança do pensamento

O professor de sociologia Jorge Alexandre Barbosa, da UFMG, entende também que a conversão leva a pessoa a ter mais confiança.

“A pessoa que inicialmente carregava o ‘rótulo negativo’ de ser negro passa a carregar o ‘rótulo’ de evangélico. Assim, o novo ‘rótulo positivo’ anularia o efeito do negativo”, indica.

Em outras palavras, o vínculo religioso reflete na motivação do indivíduo. Inclusive as mulheres também passam a ser “empoderadas” pela igreja e se tornam mais motivadas e capacitadas para o mercado de trabalho.

Redação Exibir Gospel