Siga nossas redes sociais
20/07/2024

Destaques

Militares libertam 686 prisioneiros do Boko Haram

Published

on

Mulheres estão entre a maioria dos reféns libertos na Nigéria e Camarões (foto representativa) Crédito:Portas Abertas
Compartilhe

É possível que haja cristãos entre os resgatados na Nigéria e Camarões

Forças militares da Nigéria e de Camarões libertaram 686 prisioneiros do Boko Haram em duas operações distintas. Ainda não há informações sobre os cristãos entre os libertos, mas esse é um motivo de louvor a Deus por responder às orações e perseverar na intercessão por outros reféns

No início de maio, a operação Alpha libertou 300 prisioneiros do grupo extremista no extremo Norte de Camarões. Entre os reféns estavam 191 crianças, 99 mulheres e dez homens. Muitos deles estão em processo de repatriação para retornarem as suas famílias.

Na última terça-feira (21), a imprensa nigeriana informou que 386 pessoas foram resgatadas na floresta de Sambisa. A maioria eram mulheres e crianças e muitas delas já estavam em cativeiro há dez anos.

Em entrevista, o brigadeiro-general Haruna explicou que a operação denominada “Desert Sanity 111” durou dez dias e teve como objetivo “limpar a floresta de Sambisa dos restos de todas as categorias de terroristas”.

Ainda não há informações sobre cristãos entre os resgatados. Mas o clamor da igreja livre para que as autoridades se esforçassem em encontrar os sequestrados foi ouvido.

Esperança para as meninas de Chibok e Leah Sharibu

Em abril, a Portas Abertas publicou um artigo especial sobre os dez anos do sequestro das meninas de Chibok. No mesmo dia em que o rapto completou uma década, Lydia Simon foi liberta junto com seus três filhos.

Durante o culto em memória aos dez anos do sequestro, Yana Gala, uma mãe de Chibok, disse: “Minha esperança e oração é que o Deus que não falha traga de volta nossas filhas. Mesmo que elas tenham filhos agora, não importa a condição em que se encontrem, nós as queremos mesmo assim”. A filha de Yana, Rifkatu, ainda está entre os desaparecidos.

Em 14 de maio, Leah Sharibu completou 21 anos; há seis anos, ela está nas mãos dos extremistas. A jovem permanece presa por se negar a se converter ao islã e usar o hijab (véu islâmico).

A Portas Abertas e as famílias das meninas de Chibok e de Leah Sharibu concordam que Deus é a única solução para esses casos e que a oração contínua é o único recurso. Convidamos a todos os cristãos a intercederem pela libertação de todos os reféns dos jihadistas.

A Nigéria é o 6º país da Lista Mundial da Perseguição 2024, que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos.