Siga nossas redes sociais
12/04/2024

Destaques

Padre italiano é excomungado após chamar o papa de “usurpador”

Published

on

Compartilhe

O padre Ramon Guidetti, pároco de San Ranieri em Guasticce, na Itália, foi excomungado pela Igreja Católica após ter proferido declarações controversas durante a homilia de uma missa. Segundo relatos, o padre afirmou que o Papa Francisco “não é o Papa”, mas sim “um usurpador”.

O bispo de Livorno, dom Simone Giusti, tomou a decisão de excomunhão de Guidetti após suas declarações durante um serviço religioso no dia em que se lembrava o primeiro aniversário da morte do papa emérito Bento XVI, falecido em 31 de dezembro de 2022.

“Dom Simone Giusti, bispo da Diocese de Livorno, hoje, 1º de janeiro de 2024, emitiu um decreto com o qual declara que dom Ramon Guidetti incorreu, de fato, na excomunhão ‘latae sententiae'”, acrescenta a nota.

Como resultado, o padre foi suspenso “divinis” e destituído do cargo de pároco da paróquia de San Ranieri em Guasticce.

A nota divulgada pela Igreja Católica também advertiu “os sacerdotes e fiéis a não participarem de nenhuma das suas celebrações ou outras práticas de culto, porque incorreriam na gravíssima pena de excomunhão”.

Exibir Gospel / Leiliane Lopes