Siga nossas redes sociais
23/02/2024

Destaques

‘Rezo pela orientação e ajuda de Deus Todo-Poderoso’: Carlos III proclamado rei

Published

on

foto reprodução
Compartilhe

Carlos III foi hoje proclamado rei na presença da família real, a primeira-ministra Liz Truss, ex-primeiros-ministros, políticos, os arcebispos de Canterbury e York e outros dignitários.

A cerimônia de proclamação foi realizada no Palácio de St. James, em Londres, no sábado, após a morte de sua mãe, a rainha Elizabeth II.

Fazendo sua declaração no Conselho de Adesão, Carlos III prometeu seguir o “exemplo inspirador” de sua mãe e terminou com uma oração pela “orientação e ajuda de Deus Todo-Poderoso”.

Ele disse: “Meus senhores, senhoras e senhores, é meu mais doloroso dever anunciar a vocês a morte de minha amada mãe, a rainha. Eu sei o quão profundamente vocês, toda a nação, e acho que posso dizer ao mundo inteiro, simpatize comigo pela perda irreparável que todos sofremos.

“É o maior consolo para mim saber a simpatia expressa por tantos para minha irmã e meus irmãos. E que tal afeto e apoio esmagadores sejam estendidos a toda a nossa família em nossa perda.”

Ele continuou: “Ao assumir essas responsabilidades, devo me esforçar para seguir o exemplo inspirador que me foi dado ao defender o governo constitucional e buscar a paz, a harmonia e a prosperidade dos povos dessas ilhas e dos reinos e territórios da Commonwealth em todo o o mundo.

“Neste propósito, sei que serei sustentado pelo afeto e lealdade dos povos cujo soberano fui chamado a ser, e que no cumprimento desses deveres serei guiado pelo conselho de seus parlamentos eleitos.

“Em tudo isto, sinto-me profundamente encorajado pelo apoio constante da minha amada esposa. Aproveito esta oportunidade para confirmar a minha vontade e intenção de continuar a tradição de entregar as receitas hereditárias, incluindo o Crown Estate, ao meu governo em benefício de todos, em troca do Sovereign Grant, que apoia meus deveres oficiais como Chefe de Estado e Chefe de Nação.

“E ao realizar a pesada tarefa que me foi confiada, e à qual agora dedico o que me resta de minha vida, oro pela orientação e ajuda de Deus Todo-Poderoso.”

Durante a cerimônia, o rei Carlos, como “Defensor da Fé”, prestou juramento sobre a segurança da Igreja da Escócia, que preserva sua independência.

De acordo com as palavras do juramento, o rei “pela graça de Deus” “promete e jura fielmente que manterei e preservarei inviolavelmente o Acordo da verdadeira religião protestante, conforme estabelecido pelas leis feitas na Escócia no processo da Reivindicação de Direito e particularmente por um Ato intitulado ‘Um Ato para garantir a religião protestante e o Governo da Igreja Presbiteriana’ e pelos Atos aprovados no Parlamento de ambos os Reinos para a União dos dois Reinos, juntamente com o governo, culto, disciplina, direitos e privilégios da Igreja da Escócia. Então me ajude Deus.”

Após a cerimônia, o Rei das Armas da Jarreteira proclamou “Deus Salve o Rei” e o hino nacional foi tocado.

Fonte: The Christian Today