Siga nossas redes sociais
12/04/2024

Entretenimento

Vaticano esclarece sobre bênção a casais homossexuais: “Oração de 10 a 15 segundos”

Published

on

Compartilhe

O Vaticano emitiu um comunicado esclarecendo aspectos controversos relacionados à recente permissão de bênçãos a casais homossexuais ou em situações consideradas “irregulares”. O comunicado, denominado “Fiducia Supplicans”, autoriza bênçãos pastorais, não litúrgicas ou ritualizadas, a casais nessas condições, destacando que tais bênçãos não implicam em justificação das situações em questão.

O cardeal argentino Víctor Manuel Fernández, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, esclareceu que a declaração propõe bênçãos pastorais breves e simples, diferenciando-as das litúrgicas ou ritualizadas. Essas bênçãos não aprovam ou validam as circunstâncias dos casais em questão.

O comunicado ressalta a distinção entre bênçãos pastorais espontâneas e as litúrgicas ou ritualizadas, enfatizando a brevidade das primeiras. Um exemplo fornecido é uma breve oração proferida pelo sacerdote, pedindo saúde, trabalho, paz e conformidade com a vontade divina para o casal, com duração de 10 a 15 segundos.

A Doutrina da Fé acrescenta um exemplo do que seria uma “bênção pastoral”, na qual o sacerdote formula a oração: “Senhor, olhai para estes teus dois filhos, concedei-lhes saúde, trabalho, paz, ajuda mútua. Livrai-os de tudo o que contradiz o teu Evangelho e concedei-lhes que vivam segundo a tua vontade. Amém”.

Segundo a declaração, quando a bênção for solicitada por casais em situações irregulares, não deve coincidir com ritos civis de união ou cerimônias tradicionais de casamento para evitar confusões. O Vaticano esclareceu que, apesar de permitir tais bênçãos espontâneas a casais homossexuais, elas não equivalem ao matrimônio canônico.

A reação diversa nas dioceses levou à necessidade de um período maior de reflexão pastoral sobre o assunto, observou a Santa Sé. O comunicado foi divulgado após várias manifestações e cartas pastorais de Conferências Episcopais e dioceses, algumas exortando os sacerdotes a não abençoarem casais do mesmo sexo ou em situações consideradas irregulares.

Além disso, o Vaticano especificou procedimentos a serem seguidos em países onde a homossexualidade é criminalizada, salientando que nesses locais, a concessão da bênção pode ser considerada imprudente, pois os bispos buscam evitar expor os homossexuais à violência.

Exibir Gospel / Leiliane Lopes