Siga nossas redes sociais
23/05/2024

Destaques

Vitória Souza: Pastor lista três razões para que crianças não sejam pastores

Published

on

Compartilhe

A controvérsia em torno das “pregações” da jovem Vitória Souza, que vem ganhando destaque na arena pública, trouxe à tona um debate crucial sobre o papel de crianças e adolescentes como pregadores e pastores. As opiniões divergem intensamente, e o pastor Renato Vargens, da Igreja Cristã da Aliança, apresentou sua perspectiva sobre o assunto.

A questão, segundo o pastor Vargens, toca em pontos fundamentais como o bom senso, a ética, a moral e, principalmente, a relação com Deus. Em um post, ele apresenta três motivos pelos quais ele acredita que crianças não devem ser pastores:

1. Infância e Maturidade Espiritual

O pastor Vargens ressalta que a Bíblia ensina que há um tempo para cada propósito debaixo do céu, como mencionado em Eclesiastes 3:1-8. Ele argumenta que as crianças precisam vivenciar plenamente a infância, desenvolvendo-se em todas as áreas antes de assumir um papel de liderança religiosa.

2. Importância da Infância e do Brincar

Vargens alega que é fundamental que as crianças desfrutem do lúdico, da fantasia, do riso e da alegria, pois isso contribui para seu saudável desenvolvimento emocional. Ele expressa preocupação de que a pressão para assumir um papel pastoral pode impactar negativamente a saúde mental das crianças, privando-as de experiências próprias da idade.

3. Qualificações Bíblicas para o Pastorado

O pastor destaca que o padrão bíblico para ser um pastor, descrito por Paulo em sua primeira epístola a Timóteo (I Timóteo 3:1-7), é complexo e envolve maturidade, experiência e qualidades específicas. Ele alega que essas características são impossíveis de serem cumpridas por crianças e adolescentes, argumentando que o papel pastoral exige uma base sólida de vida e fé.

No entanto, enquanto o pastor Renato Vargens apresenta sua perspectiva, há uma variedade de opiniões sobre o assunto. Algumas vozes discordantes argumentam que a capacidade de compreender e compartilhar a fé não está necessariamente atrelada à idade, e que as crianças também podem ser usadas como instrumentos de inspiração e ensinamento religioso.

Independentemente da opinião sobre o assunto, o chamado de Renato Vargens para não explorar ou usar crianças para benefício próprio ressoa como um lembrete importante de proteger o bem-estar emocional e espiritual das próximas gerações.

Leia na íntegra:

https://www.instagram.com/p/CwDSXEau2pg/

Exibir Gospel / Leiliane Lopes