Siga nossas redes sociais
14/07/2024

Entretenimento

Lula não participou da Marcha para Jesus de São Paulo e enviou carta aos evangélicos

Published

on

Compartilhe

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma carta à Marcha para Jesus, evento evangélico realizado em São Paulo, nesta quinta-feira (30). Na carta, Lula destacou o papel essencial da igreja na promoção de uma vida digna para as famílias brasileiras e no fortalecimento da harmonia na sociedade.

Lula foi convidado a participar da marcha, mas informou que “infelizmente” não pôde comparecer. Em seu lugar, enviou o advogado-geral da União, Jorge Messias, que é evangélico. Na mensagem lida no evento, o presidente afirmou que seu governo está comprometido em construir um país mais justo e inclusivo, e que as ações do governo visam promover uma vida digna para a família brasileira.

Segundo Lula, a igreja desempenha um papel vital nesse compromisso, tanto na ação social quanto no suporte espiritual aos fiéis. Ele expressou a crença de que a colaboração entre o governo e a igreja pode contribuir significativamente para o bem-estar, a paz e a harmonia da população.

Na carta, Lula mencionou que, como cristão, se sente “regozijado de ver a dimensão extraordinária que este evento tomou”. Ele também recordou que, em seu segundo mandato, em 2009, sancionou a lei que instituiu o Dia Nacional da Marcha para Jesus. O presidente finalizou a mensagem citando um trecho bíblico: “Amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos.”

Leia na íntegra:
Ao Ilustríssimo Senhor Apóstolo Estevam Hernandes,

Receba minhas cordiais saudações.

É sempre uma honra e uma alegria receber o seu convite para participar da Marcha para Jesus. Quero expressar meu respeito e meu reconhecimento pela realização de mais uma edição deste evento, que reúne milhares de fiéis em um momento de fé, unidade e oração.

Como cristão, sinto-me regozijado de ver a dimensão extraordinária que este evento tomou e o papel significativo que ele desempenha na vida de muitos brasileiros, promovendo valores de paz, fé, amor ao próximo e solidariedade.

Ver esse resultado só aumenta o orgulho que sinto de ter sancionado a Lei que criou este Dia Nacional da Marcha para Jesus, em 2009, ainda no meu segundo mandato como Presidente da República.

Uma das características mais formidáveis da Marcha é a capacidade de reunir fiéis de diferentes igrejas cristãs do Brasil e do mundo, sendo um evento aberto e de inclusão, que permite a participação de toda a população. Isso é uma demonstração inequívoca da prática daquilo que nos ensinou Jesus: ‘a comunhão’, que promove e fortalece os vínculos entre as pessoas. Conforme nos mandou Jesus: “amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros. Se vocês tiverem amor uns para com os outros, todos reconhecerão que vocês são meus discípulos” (Jo 13,25-26).

Esse ensinamento é o que norteia o trabalho do nosso governo, que tem um foco muito preciso: união e reconstrução.

Temos o compromisso profundo, com todos os brasileiros, de construir um país mais justo e inclusivo. As ações do meu governo são desenvolvidas a partir dessa premissa e buscam promover uma vida digna à família brasileira.

E a Igreja desempenha um papel vital nesse compromisso, que se reflete na sua ação social e no suporte espiritual de seus fiéis. Por isso, acredito que, juntos, podemos fazer muito mais pelo bem-estar, a paz e a harmonia de nosso povo.

Tenho certeza de que a Marcha para Jesus de 2024 será, como nos anos anteriores, um evento abençoado, que renovará a esperança e a fé de todos os participantes.

Como, infelizmente, não consegui estar presente, pedi ao ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Jorge Messias, que representasse a mim e ao governo.

Ele está honrado, como também estou.

Que Deus abençoe a todos.

Atenciosamente,
Luiz Inácio Lula da Silva
presidente da República Federativa do Brasil