Siga nossas redes sociais
14/07/2024

Destaques

A União Nigeriana de Empregados do Governo Local (NULGE) em Nangere, estado de Yobe, protestou coExtremistas executam três cristãos no estado de Borno, Nigéria

Published

on

Compartilhe

No dia 3 de junho, o grupo extremista Islamic State West Africa Province (ISWAP) executou três homens cristãos no estado de Borno, Nigéria. As imagens do incidente foram divulgadas nas redes sociais pela agência de propaganda do grupo, Amaq News Agency.

As imagens mostram as vítimas ajoelhadas com as mãos amarradas atrás das costas, sendo vigiadas por três homens mascarados. Em sequência, as fotos capturam o momento em que os homens são alvejados, com nuvens de fumaça surgindo ao fundo.

Segundo o International Christian Concern, os homens foram sequestrados de um veículo que trafegava por uma estrada no norte do estado. Passageiros muçulmanos foram liberados, enquanto os cristãos foram especificamente visados e levados pelos extremistas. Um quarto passageiro cristão também foi sequestrado, mas sua condição ainda é desconhecida.

O Reverendo Ibrahim Abako, secretário da Associação Cristã da Nigéria (CAN) no estado de Yobe, confirmou as mortes em entrevista ao Leadership Media Group. “Condenamos totalmente o assassinato de três jovens cristãos na estrada federal Damaturu-Biu”, afirmou Abako.

O ataque ocorreu na estrada Biu-Damaturu, no estado de Yobe, onde os extremistas sequestraram e posteriormente executaram três cristãos. As identidades das vítimas foram divulgadas nas redes sociais.

Parentes das vítimas relataram ao Daily Post que os sequestradores liberaram outros passageiros, mirando especificamente os cristãos. Esse episódio reacendeu preocupações sobre a segurança da minoria cristã na região.

Abako pediu às autoridades governamentais e forças de segurança que intensifiquem seus esforços contra os insurgentes. “Este incidente tem ocorrido com frequência. Pedimos ao governo, especialmente ao exército e à polícia, que tomem medidas proativas para proteger os cidadãos, independentemente de sua religião”, disse ele ao Post.
ntra a falta de ação das agências estaduais. Umar Inusa, presidente da NULGE Nangere, criticou a resposta do governo à crise de segurança, vinculando a governança ineficaz à deterioração da segurança, segundo a ACI África.

Este incidente é mais um de uma série de ataques realizados pelo ISWAP, que se separou do Boko Haram em 2016. Somente em janeiro, o ISWAP conduziu oito ataques contra comunidades cristãs, resultando em 12 mortes e forçando muitas pessoas a fugirem de suas casas, que foram incendiadas, informou o ICC.

Redação Exibir Gospel